Tag Archives: infarto

Cardiologista dá 10 dicas para evitar um infarto

Sedentarismo e maus hábitos alimentares são os grandes vilões

02-09b

Conheça 8 fatores que aumentam as chances de infarto nas mulheres

Pesquisa indica que o coração da mulher anda maltratado e as razões são inúmeras: pressão no trabalho, acúmulo de responsabilidades e má alimentação estão entre elas.

Pesquisa realizada pela Abril Mídia revela dados impressionantes sobre a saúde cardiovascular da mulher Foto: Corbis

Pesquisa realizada pela Abril Mídia revela dados impressionantes sobre a saúde cardiovascular da mulher
Foto: Corbis

O nosso coração anda maltratado e as razões são inúmeras: as mulheres enfrentam pressão no trabalho, acumulam responsabilidades com a família e a casa. Acabam engolindo alimentos gordurosos às pressas, estão cansadas e não encontram tempo para a vida afetiva e sexual. A bebida ou o cigarro – muitas vezes ambos – entram como antídoto para a solidão e a ansiedade. Há ainda enorme desinformação sobre o que agride a saúde cardiovascular, o que coloca 21 milhões de brasileiras sob a ameaça de infartar.

Ingerir fibras reduz risco de AVC

1426350_10396917

Para ficar longe da doença cardiovascular, aumente a ingestão de fibras. Especialistas recomendam 26 a 38 gramas por dia, mas um novo estudo publicado na “British Medical Journal” mostra que, depois de um infarto, o consumo de 10 gramas a mais de fibras por dia está associado a 15% menos chance de morrer nos nove anos seguintes.

Um dos autores do estudo, Shanshan Li, do Departamento de Epidemiologia da Escola de Saúde Pública Harvard de Boston, nos EUA, destaca que, “além dos medicamentos, é importante observar que outros fatores podem melhorar a qualidade de vida”.

Com este objetivo, Li e equipe analisaram dados de grandes estudos americanos: um com cerca de 122 mil enfermeiras e outros com mais de 51 mil médicos. Em ambos, os participantes respondiam questionários de estilo de vida todo ano.

Ao longo de 30 anos, um total de 2.258 mulheres e 1.840 homens sofreram um primeiro infarto. Nove anos depois, 1.133 morreram (682 mulheres e 451 homens). Como os investigadores os dividiram em vários grupos em função da ingestão de fibras diárias, puderam extrair dados muito precisos.

Aqueles que comeram mais fibras (entre 27 e 36 gramas por dia) tinham 25% menos probabilidade de morrer de qualquer causa nos próximos nove anos após o infarto, em comparação com o grupo de alimentos menos fibra consumida (12 a 17 gramas).

Considerando-se apenas os problemas cardiovasculares como causa de morte, diz o estudo, “quem comeu mais fibras teve um risco 13% mais baixo”. E os resultados, dizem, “ajustamos a outros fatores que poderiam afetar a probabilidade de sobrevivência após o AVC, tais como idade, história médica e de outros hábitos alimentares e estilos de vida”.