Tag Archives: câncer de pâncreas

Câncer de Pâncreas: Busca de novos tratamentos é promissora

Cientistas estão trabalhando para desenvolver terapias inovadoras para o câncer de pâncreas, um dos cânceres mais mortais que afetam homens e mulheres.

sintoma-de-cancer-pancreas-620x419

O câncer de pâncreas é uma doença que, muitas vezes, não apresenta sintomas até que atinja estágios muito avançados. A cirurgia é a única chance de cura, mas a maioria dos pacientes não são candidatos à cirurgia por causa da localização do tumor no pâncreas ou porque o câncer se espalhou.

Conheça o medicamento Zanosar (Estreptozocina)

Zanosar (Estreptozocina) é um medicamento  para tratar câncer no pâncreas

 

Zanosar (Estreptozocina) é um medicamento que pertence ao grupo chamados agentes alquilantes, utilizado para tratar câncer no pâncreas. Este medicamento interfere no crescimento de células cancerosas, retardando o seu crescimento e disseminação. O Zanosar é administrado através de injeção na veia e a dosagem é baseada em sua condição médica, tamanho corporal e reposta ao tratamento.

FDA aprova o Abraxane para câncer de pâncreas em estágio avançado.

FDA-aprova-o-Abraxane-para-cancer-de-pancreas-em-estagio-avancadoFood and Drug Administration, dos Estados Unidos, ampliou os usos aprovados do Abraxane (partículas de paclitaxel ligadas aproteínas para preparação de uma suspensão injetável, com administração gota a gota em uma veia) para o tratamento de pacientes com câncer de pâncreas metastático em estágio final.

O câncer de pâncreas geralmente é diagnosticado em um estágio tardio, após o tumor ter avançado para outros órgãos, muitas vezes não mais podendo ser cirurgicamente removido. Nestes casos e em situações em que o câncer tenha progredido após uma cirurgia, opções como o Abraxane podem ajudar a prolongar a vida dos pacientes.

A quimioterapia com o Abraxane pode retardar o crescimento de certos tumores. O Abraxane se destina a ser utilizado com a gemcitabina, outro medicamento quimioterápico, em pacientes com câncer de pâncreas que se espalhou para outras partes do corpo.

O FDA revisou o novo uso do Abraxane no âmbito do programa de revisão prioritária da agência, que prevê uma revisão acelerada de certas medicações.

A segurança e a eficácia do Abraxane para câncer de pâncreas foram estabelecidas em um ensaio clínico com 861 participantes que foram aleatoriamente designados para receber Abraxane mais gemcitabina ou gemcitabina sozinha. Os participantes tratados com Abraxane mais gemcitabina viviam em média 1,8 meses a mais do que aqueles tratados apenas com gemcitabina. Além disso, os participantes que receberam Abraxane mais gemcitabina sofreram um atraso no crescimento tumoral (sobrevida livre de progressão), que foi em média 1,8 meses mais longo do que os participantes que receberam apenas gemcitabina.

Os efeitos colaterais mais comuns observados com o uso de Abraxane incluem uma diminuição das célulasbrancas do sangue (neutropenia), baixo nível de plaquetas no sangue (trombocitopenia), fadiga, danos aos nervos dos braços e das pernas (neuropatia periférica), náuseas, perda de cabelo (alopécia), inchaço (edemaperiférico), diarreia, febre, vômitos, erupção cutânea e desidratação. Os efeitos colaterais mais comuns foramfebre, desidratação, pneumonia e vômitos. Outros importantes efeitos secundários graves incluíram sepse epneumonite.

O Abraxane também está aprovado para o tratamento de câncer de mama (2005) e câncer de pulmão não-pequenas células (2012). É comercializado pela Celgene. A gemcitabina é comercializada pela Eli Lilly.

http://www.farmasupply.com.br/abraxane.php

Fonte: FDA News Release, de 6 de setembro de 2013