Tag Archives: alzheimer

Nove fatores de risco controláveis podem ser responsáveis por 2/3 dos casos de Alzheimer

Vitaminas C e E, café, estatinas, medicamentos para baixar a pressão e drogas anti-inflamatórias protegem contra a doença, diz estudo

Nove fatores de risco controláveis podem ser responsáveis por dois terços dos casos de Alzheimer no mundo, sugere uma análise publicada na “Journal of Neurology Neurosurgery & Psychiatry”, o que indica a complexidade do desenvolvimento da doença e a variedade dos fatores de risco.

Estratégias preventivas como dieta, medicamentos, química corporal, saúde mental, doenças pré-existentes e estilo de vida podem ajudar a frear a demência — o que é particularmente importante, já que a doença não tem cura.

Remédio chinês que desacelera Alzheimer entrará em fase de testes clínicos

adult helping senior in hospital

Medicamento mostrou melhora da memória e das habilidades cognitivas de animais

Um medicamento elaborado por cientistas chineses que conseguiu resultados positivos na desaceleração do avanço do Alzheimer em animais entrará em breve em fase de testes clínicos, anunciaram os responsáveis pelo projeto.

Experimento com ultrassom recupera memória de roedores com Alzheimer

Cientistas usaram método para do cérebro. Eles são otimistas quanto à eficácia

alzheimer

Centistas acreditam estar no caminho para uma promissora terapia contra o mal de Alzheimer. Eles realizaram um experimento que recuperou a memória de ratos com a doença, utilizando ondas de ultrassom direcionadas ao cérebro do animal. Desta forma, os pesquisadores conseguiram corroer as placas formadas no cérebro dos animais em laboratório.

Ainda em testes, nova droga contra Alzheimer promete reverter demência

Diminuição de determinada proteína no cérebro resultou na regulação da memória e do aprendizado; novo composto se mostrou promissor, mas ainda está sendo testado em animais

Pesquisadores da Universidade de Yale descobriram uma nova droga que pode ajudar a reverter os déficits cognitivos dos pacientes com Alzheimer. O composto TC-2153 inibe os efeitos negativos de uma proteína conhecida como STEP, que é o ponto chave para a regulação da memória e do aprendizado, as funções cognitivas deficientes no mal de Alzheimer.

“A diminuição dos níveis de STEP reverteu os efeitos do Alzheimer em ratos”, disse Paul Lombroso, professor da Faculdade de Medicina de Yale e autor do estudo publicado no periódico científico PLOS Biology.

BBC/Arquivo Uma população mais saudável pode ser a chave para reduzir o risco de Alzheimer

BBC/Arquivo
Uma população mais saudável pode ser a chave para reduzir o risco de Alzheimer

Alzheimer: Um tipo de “diabetes cerebral”

A insulina é um importante hormônio pancreático que promove a entrada de glicose nas células, promovendo a diminuição da glicemia, atuando dessa forma no metabolismo de carboidratos, lipídeos e proteínas. Quando o organismo não consegue produzir este hormônio (como ocorre em casos de diabetes tipo 1) ou adquire resistência a ele (caso de diabetes tipo 2), uma série de problemas são desencadeados.

insulina-1

Durante muito tempo acreditava-se que a insulina não tinha ligação com o sistema nervoso central. Mas nos anos 80 vários grupos de pesquisa localizaram o hormônio e seu receptor no cérebro. O indicava que a insulina cruzava a barreira hematoencefálica. Pouco tempo depois foi descoberto que o hormônio desempenha papel importante no aprendizado e na memória.

Estudo pretende prevenir o Alzheimer antes dos 40 anos

Uma forma de prevenir o Alzheimer está sendo desenvolvida e pode surgir através de vacina. Segundo o professor de neuropatologia, James Nicoll, da Universidade de Southampton, a vacina é feita a partir da mesma proteína beta-amilóide, encontrada no cérebro de quem possui a doença e deveria ser aplicada em pessoas abaixo dos 40 anos, antes de exibirem qualquer sintoma. Pessoas com idade entre 40 e 50 anos também poderiam ser vacinadas caso não apresentassem nenhum sintoma.

Em palestra em Cheltenham, cidade inglesa, o pesquisador afirma que não se pode prever os efeitos da vacinação.

— É possível que o acúmulo de beta-amilóide cause uma cascata de coisas que você não pode reverter. Mas poderíamos vacinar antes que a doença comece a se apresentar? Para mim, essa é a pergunta mais interessante e emocionante. Pode ser um prevenção, em primeiro lugar.

Um estudo realizado na Universidade de Columbia está atualmente testando a teoria sobre uma família que é geneticamente predisposta à doença de Alzheimer mas seu resultado demorará décadas para provar se a vacina é eficaz.

Somente na Grã-Bretanha, onde o estudo é realizado, cerca de 800 mil pessoas possuem a doença o que impacta em £ 23 bilhões a economia

Em outra pesquisa, o professor de psiquiatria biológica da Universidade de Southampton, Clive Holmes, alertou que o Alzheimer pode ser causado e agravado por infecções comuns, como a gripe.

 Fonte: O Globo

Exame prevê surgimento de Alzheimer

WASHINGTON (EUA) – Pesquisadores americanos desenvolveram um novo exame de sangue capaz de prever com precisão o aparecimento da doença de Alzheimer, informa a BBC News. Eles mostraram que testes do nível de 10 gorduras no sangue permitiria detectar – com 90% de precisão – o risco de uma pessoa desenvolver a doença nos próximos três anos.Os resultados, publicados na revista Nature Medicine, agora passarão por testes clínicos maiores.

Especialistas dizem que os resultados ainda precisam ser confirmados, mas que tal exame seria “um verdadeiro passo em frente”. Hoje existem 44 milhões de pessoas vivendo com demência em todo o mundo, número que deve triplicar até 2050.

A doença ataca o cérebro “silenciosamente” por mais de uma década antes que os sintomas surjam. Os médicos acreditam que tratamentos com remédios estão falhando porque os pacientes estão sendo submetidos a eles tarde demais.

Os Cientistas da Universidade de Georgetown, em Washington D.C., analisaram amostras de sangue de 525 pessoas com idade superior a 70 anos, como parte de um estudo de cinco anos.

Eles compararam os exames de 53 deles que desenvolveram Alzheimer, ou algum comprometimento cognitivo leve, com os de 53 que permaneceram mentalmente ágeis. Os pesquisadores encontraram diferenças nos níveis de lipídos, ou 10 gorduras, entre os dois grupos.

Quando a equipe olhou as outras amostras de sangue, esses 10 marcadores de Alzheimer permitiam prever em quem era provável que o declínio mental surgisse nos anos seguintes.

– Há enorme necessidade de um exame como este. Mas temos de testar com um maior número de pessoas antes que possa ser utilizado na prática clínica – ontou à BBC News Howard Federoff, professor de neurologia na Universidade de Georgetown.

Agora os pesquisadores passarão a investigar se o exame funciona para prever a doença com ainda mais antecedência do que três anos. Não está claro exatamente o que está causando as mudanças de gorduras no sangue, mas poderia ser um resíduo das primeiras mudanças no cérebro.

Desafios

Um teste bem sucedido para a doença de Alzheimer pode transformar a pesquisa médica e permitir testar tratamentos com medicamentos em um estágio muito anterior da doença. Segundo Federoff, abrandar o ritmo da doença pode oferecer um enorme impacto.

– Mesmo um pequeno atraso de sintomas já terá um benefício econômico tremendo só em termos do custo do atendimento – apontou à BBC.

Fonte: O Globo

Conheça os benefícios do chá branco

Bebida ajuda a prevenir o câncer, doenças cerebrais degenerativas e cardiovasculares.

O chá branco é oriundo da planta Camellia sinesis, a mesma que origina o chá verde e o chá preto. Esta bebida se destaca pela forte ação antioxidante, principalmente porque possui grandes quantidades de catequinas, um tipo de polifenol. Por isso, ele é importante para a prevenção do câncer, doenças cardiovasculares e cerebrais degenerativas e tem ação anti-inflamatória.

A diferença entre os chás branco, verde e preto está na fase em que a planta é colhida e a maneira como são preparados. Entenda como cada um deles é elaborado:

Chá branco: É produzido a partir das folhas novas e brotos, parte mais nobre da planta, que são colhidos antes das flores se abrirem. A coloração prateada desses brotos e folhas fez com que bebida recebesse o nome de chá branco. A planta não passa por fermentação e por isso conta com a ação antioxidante mais forte e menor quantidade de cafeína. Os processos para preparar a planta são a vaporização parcial e secagem ao ar na luz natural.

Chá verde: É elaborado com a planta um pouco mais velha do que a do chá branco. Porém, ela ainda não passou por um estágio de fermentação tão grande. Por isso, possui ação antioxidante menor do que o branco, mas ainda se destaca por esse benefício, e maior quantidade de cafeína. No chá verde as folhas são colocadas sob vapor e depois secas.

Chá preto: É feito com as folhas ainda mais velhas e passa por um processo de fermentação maior. Por isso, ele possui ação antioxidante bem menor do que dos outros dois chás e muita cafeína. Os processos para a sua produção são: drenagem interna sem rotação, rotação, fermentação, secagem fina.

Nutrientes do chá branco

O chá branco se destaca por sua ação antioxidante. Isto ocorre devido às catequinas presentes em grandes quantidades neste chá. Estudos realizados no College of Health and Human Science, nos Estados Unidos, mostraram que o chá branco possui níveis mais altos de catequinas em relação a outros chás.

As catequinas são polifenóis e potentes antioxidantes. Assim, elas ajudam a prevenir o câncer, doenças cardiovasculares e cerebrais degenerativas, como Alzheimer e Parkinson, tem ação anti-inflamatória e protege o fígado.

Outra substância presente no chá branco é a L-teanina. Trata-se de um aminoácido que age no cérebro e favorece o aumento dos níveis de ácido gamaaminobutírico (GABA), dopamina e serotonina, neurotransmissores relacionados com a sensação de relaxamento e bem-estar.

Este chá também possui cafeína, porém em quantidades menores do que o chá verde e o preto. A cafeína tem um efeito estimulante, aumentando a disposição e diminuindo a sonolência e a fadiga. Ela também ajuda no emagrecimento por ter uma ação termogênica, que aumenta o gasto energético do corpo.

A bebida conta com taninos, polifenóis que possuem ação antioxidante leve. Porém, os chás verde e preto possuem maiores quantidades desta substância. Os taninos não podem ser consumidos em abundância, pois inibem a absorção de outros nutrientes importantes, especialmente o ferro.

Benefícios comprovados do chá branco

Previne o câncer: A oxidação do DNA das células aumenta as chances de câncer. Por isso, a ação antioxidante das catequinas presentes no chá branco ajudam a prevenir esta doença. Uma pesquisa do Instituto Linus Pauling de Ciências e Medicina da Califórnia, Estados Unidos, constatou que a bebida impede alterações genéticas que podem originar o câncer. Outros estudos já relacionam o consumo da bebida com a diminuição do risco de câncer gástrico, hepático e pulmonar.

Ação anti-inflamatória: As catequinas presentes no chá branco são capazes de reduzir os processos inflamatórios. Por isso, a bebida pode ser boa para quem tem artrite inflamatória, diminuindo a velocidade de desarranjo da cartilagem articular e o risco de tumores e câncer de cólon.

Previne doenças degenerativas cerebrais: A oxidação excessiva dos neurônios favorece doenças cerebrais degenerativas como o Alzheimer e o Parkinson. Com a forte ação antioxidante das catequinas, o chá branco é capaz de prevenir esses problemas.

Controla o colesterol: A ação antioxidante das catequinas do chá ajudam a diminuir a oxidação do colesterol. Assim, a bebida contribui com a diminuição do colesterol ruim, LDL. Consequentemente, o risco de doenças cardiovasculares irá diminuir.

Melhora o humor: O chá branco proporciona sensação de bem-estar e relaxamento. Isto ocorre porque ele possui um aminoácido chamado L-teanina que age no cérebro e favorece o aumento dos níveis de ácido gamaaminobutírico (GABA), dopamina e serotonina, neurotransmissores relacionados com a sensação de relaxamento e bem-estar.

Protege a visão: A oxidação excessiva da retina, camada de tecido mais interna no fundo do olho que transforma a luz e as imagens que entram no olho em sinais nervosos que são enviados ao cérebro, causa a doença macular degenerativa que compromete a visão. A ação antioxidante das catequinas diminui a oxidação da retina e assim previne esta doença.

Ajuda a emagrecer: A principal substância responsável pela perda de peso no chá branco é a cafeína. Isto porque ela possui efeito termogênico, elevando o gasto de energia do corpo com o aumento do calor.

Contudo, o chá branco não possui quantidades tão elevadas de cafeína quanto o chá verde e o chá preto. Por isso, esta bebida não possui forte capacidade emagrecedora. Pessoas que pretendem perder peso podem optar pelo chá verde.

Quantidade recomendada de chá branco

A quantidade recomendada da bebida pode variar entre duas e três xícaras de chá por dia. Para preparar uma porção utilize cerca de três gramas da folha seca para 300 ml de água.

Como consumir o chá branco

Para preparar uma porção de chá branco utilize três gramas da folha seca para 300 ml de água. Aqueça a água até um pouco antes da fervura, cerca de 80º, depois desligue o fogo e coloque a planta dentro. Deixe descansar por cinco minutos, coe e consuma.

É difícil encontrar a folha à granel, mas as versões industrializadas da bebida também são saudáveis e podem ser ingeridas seguindo a instrução do fabricante.

Compare o chá branco com outros alimentos

Estudos realizados no College of Health and Human Science, nos Estados Unidos, mostraram que o chá branco possui níveis mais altos de catequinas em relação a outros chás. Isto significa que ele se destaca pela forte ação antioxidante.

Quando comparado com o chá verde, o branco possui mais catequinas e por isso maior efeito antioxidante que é importante para prevenir uma série de doenças. Contudo, ele conta com menos cafeína, fazendo que seu efeito emagrecedor não seja grande. Por isso, quem pretende perder peso pode optar pelo chá verde que ainda possui boas quantidades de catequinas, mas tem a cafeína que ajuda no emagrecimento.

Com relação ao chá preto, o chá branco conta com muito mais antioxidantes e menos taninos, que em excesso podem prejudicar a absorção de nutrientes, especialmente o ferro. O chá preto possui mais cafeína do que o branco e o verde, mas é pobre em outras substâncias benéficas.

Combinando o chá branco

Chá branco + alimento termogênico: Que tal adicionar um pouco de gengibre ou canela em sua bebida? Estes alimentos são termogênicos e por isso contribuem com a perda de peso, benefício que não é forte no chá branco.

Chá branco + abacaxi ou melão: Bater no liquidificador uma xícara de chá branco frio com uma rodela de abacaxi ou uma fatia de melão e três folhas de hortelã é uma boa ideia. Isto porque o abacaxi e o melão possuem ação diurética e assim contribuem para a perda de peso, já o hortelã facilita a digestão.

Contraindicações

Apesar de não conter grandes quantidade de cafeína, o chá branco deve ser evitado por grávidas e lactantes, pois a substância atravessa a barreira placentária e leite materno. Pessoas com hipertensão, úlceras gástricas, insônia e batimentos cardíacos irregulares devem tomar cuidado com o excesso de chá branco e consultar o médico antes do consumo da bebida.

Riscos do consumo excessivo

Os riscos do excesso de chá branco não são tão altos quanto o de chá verde e preto porque ele possui menos cafeína. Mesmo assim, grandes quantidades da bebida podem levar ao aumento da pressão arterial, desordens gástricas e insônia.

Se consumida em doses altas a planta Camellia sinensis pode provocar toxicidade por excitação do sistema nervoso, causando convulsões, delírios, cefaleia e taquicardia.

Onde encontrar

O chá branco pode ser encontrado em lojas de produtos naturais ou de produtos importados.

Fonte: Educacaofisica.com.br