Seis descobertas recentes sobre o câncer

globalhealth_640x300_0

Tumor tem alvos que podem ser atacados por anticorpos

As células cancerosas têm marcações genéticas que podem servir de alvo para o sistema imunológico atacar o tumor. Além disso, nosso organismo tem anticorpos que identificam esses pontos fracos. As descobertas, descritas num estudo publicado pela “Science”, podem levar a uma revolução com tratamentos individuais muito mais eficientes.

Nove em cada dez cânceres são causados pelo estilo de vida

Até nove em cada dez cânceres são causados por fatores externos, como fumar, beber, exposição ao sol e poluição, concluiu um estudo. Pesquisas anteriores sugeriam que mutações celulares aleatórias tinham papel significativo no desenvolvimento de tumores. É a “hipótese da má sorte”. Recentemente, ficou claro que o estilo de vida é mais impactante.Mudança no estilo de vida reduz em 40% incidência de câncer.

O câncer de mama será o mais recorrente em mulheres ao longo de 2016, segundo estimativa do Inca

Reduzir drasticamente os fatores de risco para o câncer — em especial, o tabagismo e a obesidade — é importantíssmo para diminuir a incidência da doença. Dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca) mostram que, em 2013, houve 189.454 mortes causadas por câncer. Exercícios, alimentação saudável e abandonar o fumo são essenciais para afastar o risco.

Homens têm dobro de risco de câncer por sexo oral

Os homens têm o dobro de possibilidade, em comparação com as mulheres, de desenvolver câncer de garganta e de boca devido à infecção por papilomavírus humano (HPV) ocorrida durante o sexo oral. Na maior parte dos países ocidentais, quase dois em cada três casos de câncer na garganta ou na boca são provocados por uma infecção do HPV 16.

Melanoma severo: maioria das vítimas tem poucas pintas

O senso comum diz que pessoas com mais risco de câncer de pele são aquelas com muitas pintas no corpo. Mas um estudo publicado no periódico “Jama Dermatology” revela que a maioria das pessoas com melanoma (o tipo mais sério de câncer de pele) não tem muitos sinais. Grande parte das vítimas (66%) tinham entre 0 e 20 sinais em todo o corpo.

Câncer de pâncreas têm quatro tipos diferentes

Considerado um dos tumores mais agressivos e de difícil diagnóstico, o câncer de pâncreas é também mais complexo do que se imaginava. Um estudo mostra que a doença tem, na verdade, quatro subtipos, cada qual com diferentes gatilhos genéticos e taxas de sobrevida. Esta revelação dá margem à criação de um tratamento para cada subtipo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *