Mais de 70% das crianças com alergia alimentar sofrem reações graves

Farma Supply

Segundo estudo, cuidadores falham ao administrar epinefrina em 70% das tentativas de tratar reações graves e potencialmente fatais

Publicado por Farma Supply. Fonte: http://www.isaude.net/pt-BR/noticia/28789/ciencia-e-tecnologia/mais-de-70-das-criancas-com-alergia-alimentar-sofrem-reacoes-graves

Crianças com alergia a leite e ovo experimentam número inesperadamente elevado de reações a estes e outros alimentos. É o que aponta estudo conduzido no National Jewish Health, nos Estados Unidos. Resultados apontam que mais de 70% das crianças em idade pré-escolar com suspeita ou diagnóstico confirmado de alergia alimentar sofreram reações significativas durante um período de três anos. Os pesquisadores também descobriram que os cuidadores falham ao administrar a epinefrina em 70% das tentativas de tratar reações graves e potencialmente fatais. A pesquisa foi publicada pela revista Pediatrics.

“Nossas descobertas apontam para a necessidade de pais e cuidadores serem ainda mais vigilantes para evitar alimentos alergênicos e tratar adequadamente as reações”, diz o principal líder do estudo David Fleischer.

O estudo acompanhou 512 crianças com idades entre 3 e 15 meses, por uma média de três anos, documentando todas as reações alérgicas a alimentos ocorridas no período. Durante os três anos, as crianças apresentaram 1.171 reações alérgicas a alimentos. Das 512 crianças matriculadas, 145 (28%), não tiveram reações alérgicas, 98 (19%) tiveram uma reação e 269 (53%) tinham mais de uma reação.

Pouco mais de 11% (134) das reações foram classificadas como grave, e incluiu sintomas como inchaço na garganta, dificuldade respiratória, queda súbita da pressão arterial, tontura ou desmaio. Quase todas as reações graves foram causadas pela ingestão do alérgeno ao invés de inalação ou contato com a pele.

Apenas 30% das reações graves foram tratados com epinefrina, medicamento que os cuidadores podem administrar para reduzir os sintomas enquanto se espera pelo atendimento médico. Falhas no tratamento primário incluem: dificuldade em reconhecer a gravidade da reação, não ter epinefrina (EpiPen) disponível, e temor de administrar a epinefrina.

“É muito importante para cuidadores de crianças com alergias alimentares transportarem epinefrina em todos os momentos, saberem reconhecer uma reação séria, assim como saberem usar um EpiPen“, alerta o pesquisador envolvido no estudo Dan Atkins. “Usar corretamente um EpiPen na hora certa pode salvar uma vida.”

A grande maioria das reações (89%) foram causadas por exposição acidental, atribuída principalmente à ingestão acidental, leitura errada de rótulos e contaminação cruzada. Cerca de metade dos alimentos alergênicos foram fornecidas por pessoas que não os pais. Surpreendentemente, 11% das reações se seguiram a exposição proposital a estes alimentos. Atualmente, os pesquisadores estudam as possíveis razões para estas exposições intencionais. Eles especulam que isso pode ser reflexo da tentativa dos pais de determinar se a alergia dos filhos está aumentando.

Vídeos relacionados:

Quando usar EpiPen

Aprenda como usar EpiPen

 

Solicitar Cotação do medicamento EpiPen

 

Para ler mais notícias sobre Medicamentos, clique em blog.farmasupply.com.br. Visite nosso site www.farmasupply.com.br, siga-nós também no Twitter e curta a nossa página no Facebook.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *