Exercícios físicos regulares reduzem o risco de câncer

Não é novidade que praticar exercícios físicos só traz benefícios à saúde: tem-se mais energia, o humor melhora e o peso fica controlado.

Mas isso não é tudo: esse hábito também pode evitar o desenvolvimento de um câncer, de acordo com especialistas da área médica.De acordo com o Jornal O Globo, estudo recente divulgado na conferência “European Breast Cancer”, na Escócia, apontou que mulheres que se exercitam vigorosamente durante uma hora por dia podem reduzir em até 11% o risco de câncer de mama. Os dados também mostraram que praticar exercício por mais tempo pode aumentar ainda mais a proteção na comparação com as mulheres menos ativas.

Já as Recomendações Mundiais sobre Atividade Física apresentadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que cerca de 25% dos casos de câncer de mama e de cólon poderiam ser evitados se os pacientes praticassem exercícios físicos por, pelo menos, 2 horas e meia por semana.

O quadro é preocupante quando se analisam os dados sobre sedentarismo em todo o mundo: dados da mesma entidade (2008) mostram que ele está associado a 3,2 milhões de mortes anuais, sendo 2,6 milhões em países pobres e em desenvolvimento.

Reverter a situação é fácil: basta fazer alguma atividade leve, como uma caminhada, durante 30 minutos e por três vezes por semana, como recomenda o oncologista da Oncomed Belo Horizonte, Dr. Amândio Soares. Mas, antes de colocar o tênis e partir para a rua ou para a esteira, o médico lembra que é preciso fazer uma avaliação médica para saber qual o exercício mais indicado e qual deve ser sua intensidade. “Independentemente da atividade física, é importante que ela dê prazer e seja indicada a quem a pratica”, diz.

Confira a entrevista Dr. Amândio Soares, que tira as principais dúvidas quando o assunto é a relação entre atividades físicas e câncer.

1-Qual a relação das atividades físicas com o câncer?

Já é muito bem difundido e conhecido pela população que a prática regular de atividades físicas diminui o risco das doenças cardiovasculares, que atualmente são a principal causa de morte no nosso país. O câncer já ocupa a segunda colocação nas principais causas de óbito no Brasil.

O que a maioria da população ainda não sabe é que, a prática regular de atividades físicas também reduz o risco de morte por câncer. Um estudo americano feito pela universidade de Harvard demonstra que levar um estilo de vida sedentário eleva em cerca de 5% o risco de morrer de câncer. Outro dado alarmante é que a obesidade contribui como fator causal de cerca de 20% de todos os casos de câncer.

Apesar de se saber que a prática regular de atividades físicas tem um impacto positivo em reduzir o risco do câncer, ainda não está bem estabelecido se há uma atividade física específica que seja superior nessa prevenção. O que se recomenda é que, independente do tipo, o indivíduo invista na atividade física que seja mais agradável, pois dessa forma, a chance de que a prática seja mantida de maneira regular é maior.

2-Como o exercício físico age em nosso corpo diminuindo a chance de nova contração da doença? O que muda em nosso organismo após a atividade que inibe o câncer?

Vários mecanismos têm sido propostos para se explicar o efeito protetor que a atividade física exerce no nosso organismo. Tem sido demonstrado que os exercícios agem reduzindo a produção de algumas proteínas e hormônios como a insulina, as prostaglandinas e alguns fatores de crescimento. Essas substâncias, quando presentes de maneira persistentemente elevadas na corrente sanguínea do indivíduo, contribuiriam, juntamente com outros fatores, para elevar seu risco.

Em segundo lugar, a prática rotineira de atividades físicas melhora a resposta imunológica. Isso faz com que as células de defesa atuem de maneira mais eficiente na proteção do organismo. Em terceiro lugar, a prática de atividades físicas protege contra a obesidade, que é um conhecido fator de risco para o desenvolvimento de vários tipos de doenças inclusive o câncer. E por último, as pessoas que praticam atividades físicas regulares, geralmente, têm um estilo de vida mais saudável, consumindo mais fibras, verduras, legumes, frutas e vegetais, sabidamente fatores de proteção.

3-Quais tipos de câncer são mais e menos inibidos pela atividade física?

Mama, colo de útero. Um estudo epidemiológico japonês também demonstrou que a prática regular de atividade física reduziu o risco de desenvolver cânceres do tubo digestivo, como os de estômago, fígado e pâncreas. O impacto foi ainda mais significativo no caso do câncer de intestino grosso, com uma redução de risco de 24%. Além disso, também houve uma redução importante no risco de câncer de mama. Embora em menor grau, parece que também há um efeito protetor contra os cânceres do útero e da próstata.

4-Quanto tempo de duração a atividade deve ter para que tenha efeito?

A duração, intensidade e freqüência ótimas ainda não estão bem estabelecidas. Como é feito nas doenças cardiovasculares, geralmente, o que se recomenda, é que o indivíduo pratique a atividade que mais lhe proporcione prazer, para que a mesma seja realizada de maneira contínua. É preciso fazer uma avaliação médica para saber qual o exercício mais indicado e qual deve ser sua intensidade.

5-O exercício previne apenas o retorno ou também evita o primeiro aparecimento? Por quê?

Os efeitos benéficos da atividade física têm sido melhor demonstrados na redução do risco de surgimento do câncer. Não há estudos avaliando seu impacto na redução do risco da mesma doença retornar. Como toda a população, mesmo que em graus diferentes, está sujeita ao risco, é recomendável que todos adotassem um estilo de vida o mais saudável possível. Os benefícios vão muito além do seu efeito protetor contra o câncer.

Também está bem estabelecida a redução das doenças cardiovasculares e a melhora da qualidade de vida como um todo. Sendo assim, é altamente recomendável que todos pratiquem exercícios físicos regularmente e incluam as frutas, verduras e legumes na alimentação diária.

Sobre a Oncomed

A Oncomed, clínica especializada na prevenção e no tratamento das doenças neoplásicas, foi fundada em 1994, em Belo Horizonte. Desde então, realiza um trabalho que envolve cuidados diferenciados e tratamento humanizado a todos os pacientes. São especialistas em oncologia, hematologia, nutrição, clínica da dor, psicologia e cardiologia, além de uma equipe de suporte que realiza um acompanhamento efetivo na prevenção, diagnóstico e tratamento das doenças.

Fonte: Segs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *