Evite hipertensão arterial durante a gravidez. Saiba como:

Durante a gravidez, algumas mulheres ficam vulneráveis à pré-eclâmpsia, hipertensão arterial que pode aparecer geralmente a partir da 20ª semana de gestação. O problema pode evoluir para a eclâmpsia, quando ocorre um descontrole da pressão arterial colocando em risco a vida da mãe e a do feto.

Foi o que aconteceu com a enfermeira Nara Rabelo. Na época, ela tinha 15 anos de idade e quando procurou atendimento médico, o feto já estava em sofrimento. “Depois de três meses é que eu fui ao médico e, quando eu cheguei lá, ela disse que minha menina já estava quase sem vida e que minha pressão estava alta. E quando eu estava com 6 meses e 28 dias minha pressão subiu tanto que eu fui para a maternidade e tive que tirar ela e foi um momento muito difícil para mim”, relembra Nara.

De acordo com a coordenadora da Saúde da Mulher do Ministério da Saúde, Esther Vilela, a pré-eclâmpsia é a primeira causa de morte materna no Brasil. A coordenadora Esther Vilela explica que o problema é muito comum em mulheres brasileiras, principalmente durante a primeira gravidez. “Por isso, as mulheres devem ficar atentas e acompanhar bem o pré-natal, em todas as consultas devem medir a pressão, ficar atenta a algum sintoma de dor de cabeça, a perna muito inchada ao levantar, estrelinhas na vista; outros sintomas que os profissionais de saúde do pré-natal vão orientar a mulher para que ela possa procurar os serviços de saúde caso ela apareça com alguns desses sintomas”, explica a coordenadora.

Além de comparecer a todas as consultas do pré-natal, a coordenadora da Saúde da Mulher orienta as gestantes a manter bons hábitos alimentares para evitar a pré-eclampsia e outras complicações que podem surgir durante a gestação. “A gravidez saudável depende de exercício físico e uma boa alimentação a base de frutas, legumes, proteínas, redução das frituras, das gorduras e do açúcar; usar o sal de forma comedida, lembrando que refrigerante tem sal, que bolacha, inclusive de doce tem sal, tudo que tem conservante tem sal; redução do café e, principalmente, álcool, drogas, o cigarro”, destca Esther Vilela.

O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece atendimento integral às gestantes, como acesso ao pré-natal de alto risco, acesso rápido aos resultados, vinculação ao local em que será realizado o parto, além de orientar as mulheres sobre saúde sexual e prevenção das doenças sexualmente transmissíveis. Em 2012, foram realizadas 18 milhões e 200 mil consultas pré-natais pelo SUS.

Fonte: Blog Saúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *