Dieta rica em alimentos gordurosos pode comprometer o olfato, aponta estudo

Pesquisa é uma das primeiras a mostrar sinais concretos de como a obesidade pode interferir nos sistemas sensoriais

smell

Pesquisa foi realizada pela Universidade Estadual da Flórida – Reuters

 

RIO – Dietas à base de alimentos gordurosos podem comprometer o olfato, segundo cientistas da Universidade Estadual da Flórida. Eles dizem ter encontrado uma considerável ligação entre uma alimentação ruim e “grandes mudanças estruturais e funcionais no sistema olfativo, que permite o sentido de cheiro”.

A equipe diz ter descoberto ligações entre a obesidade e funções corporais que normalmente não são associadas. É a primeira vez que foi detectada uma “ligação sólida” entre dieta e olfato. E isso, segundo o o pesquisador PhD Nicolas Thiebaud, “abre uma série de possibilidades para pesquisas sobre obesidade”.

Thiebaud liderou o estudo com o Professor Debra Ann Fadool e seu trabalho foi publicado no “Jornal da Neurociência”. Um resumo do artigo diz que, atualmente, 65% dos americanos estão acima do peso. Sabe-se que isso implica, por exemplo, em doenças cardiovasculares e déficits cognitivos. Mas pouco é conhecido sobre o impacto da obesidade sobre os sistemas sensoriais.

A equipe também disse que, como o sentido de olfato é usado para orientar a escolha dos alimentos, se sua força ou capacidade for dificultada por maus alimentos, isso pode resultar em um círculo vicioso, perpetuando hábitos alimentares pobres.

Para a pesquisa, ratos receberam uma dieta rica em gordura durante seis meses. Ao mesmo tempo, eles eram ensinados a associar os odores com uma recompensa, que era a água. Os ratos com uma dieta rica em gordura foram mais lentos em aprender a associação do que aqueles que comiam normalmente. Além disso, eles se mostraram incapazes de se adaptar rapidamente a um novo odor.

“Mesmo quando os ratos alimentados com gordura foram submetidos a uma dieta de ração controlada, pela qual voltaram ao peso corporal normal eles ainda apresentavam capacidades olfativas reduzidas”, disse Ms Fadool. “Ratos expostos a dietas ricas em gordura tinham apenas 50% dos neurônios que poderiam ajudá-los a codificar os sinais de odor.”

A equipe pretende agora analisar se uma dieta rica em açúcar também pode resultar em efeitos negativos sobre o cheiro.

Fonte: O Globo

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *