Conheça cinco erros cometidos ao acordar que diminuem a disposição durante o dia

Foto: Cecilia Acioli / O Globo

Foto: Cecilia Acioli / O Globo

Tão essencial para o bem-estar quanto comer adequadamente e se hidratar, dormir é fundamental para o equilíbrio do organismo. Além da qualidade do descanso, a maneira de acordar o corpo também influencia na disposição para o trabalho. Alguns erros cometidos ao dormir e ao despertar podem piorar o ritmo do corpo e o bom humor durante o dia.

Na preparação para dormir, o corpo sofre uma baixa de temperatura. Ao longo da noite, as fases de profundidade do sono se alternam, variando entre momentos de relaxamento mais profundos até imersões mais superficiais repetidamente. Para acordar, a temperatura do corpo volta a crescer aos poucos e, com ela, o aumento da produção do cortisol. Este hormônio, responsável pelo estado de vigília, ajuda a tornar o corpo desperto e atento. Por isso, para garantir a disposição durante o dia, é importante manter o corpo aquecido e a concentração de cortisol em níveis suficientes.

— Corpo e neurônios precisam do sono para o relaxamento, desaceleração das funções e reorganização da memória. Da mesma maneira, é importante despertar bem o corpo, sincronizando a energia com o dia — diz a psicóloga Silvia Conway, especialista em distúrbios do sono.

Ela sinaliza que o tratamento da maior parte dos problemas como a insônia e de falta de disposição e cansaço durante o dia pode ser feito apenas com mudanças de comportamento.

Veja os cinco erros cometidos pela manhã que mudam a disposição durante o dia

Deixar o quarto escuro

Ficar no escurinho é aconchegante, mas cria um ambiente de mais preguiça e lentidão. O sol é um fator que colabora para o bom-humor, não é à toa que o verão é a estação mais alegre do ano. Por isso, a especialista indica que é importante sincronizar o corpo com o horário do dia, para ajustar o ritmo social. Para fazer isso, a recomendação é que se olhe para um lugar com muita luminosidade, sensibilizando as células como uma forma de avisar que é hora de despertar e acelerar o trabalho de forma positiva. Além disso, a temperatura quente do lado de fora ajuda a acelerar o aumento da temperatura corporal e por isso a concentração de cortisol. Abra as cortinas e a janela e esquente as turbinas!

Levantar depressa

Abrir os olhos e levantar logo em seguida com pressa para realizar atividades pode exigir demais dos músculos e provocar tontura, além de ser um sinal de ansiedade. A especialista recomenda que se faça um breve alongamento, como um espreguiçar, ao despertar por cerca de dez minutos. Erguer o corpo aos poucos evita também que o sangue circule rapidamente para as pernas e provoque o mal-estar da tontura.
Para aqueles que têm insônia, a psicóloga reforça que é importante desacostumar o corpo da possibilidade de ficar na cama sem dormir. Por isso, ao acordar, é importante evitar ficar deitado. Nada de cochilinho!

Deixar a ansiedade tomar conta

A correria do dia-a-dia faz com que já se acorde com a mente acelerada, exigindo velocidade e prontidão para dar conta de uma lista enorme de tarefas, sem atenção ao corpo. Segundo a psicóloga Silvia, este tipo de postura provoca um desgaste que com o tempo vai reduzindo a disposição para as atividades da rotina. Para ela é importante colocar um foco de atenção no corpo, percebendo as necessidades de relaxamento e desaceleração, caso seja necessário. Silvia sinaliza que algumas pessoas tendem a demorar mais para entrar no ritmo e por isso podem acordar um pouco mais cedo e fazer tudo um pouco mais devagar. Quinze minutinhos podem fazer diferença.

02

Ativar o despertador várias vezes

Precisar acordar às 7h e colocar o despertador para tocar desde às 6h30 pode ser pior do que se imagina. Segundo Silvia Conway, é possível que o estímulo sonoro interrompa uma fase mais profunda do sono, fragmentando um momento de relaxamento essencial para garantir o descanso e a disposição do dia seguinte. O ideal é que o alarme toque quando o corpo deve acordar e que a soneca não seja ativada.

Para aqueles que têm insônia a recomendação é ainda mais radical: dormir mais um pouquinho desregula ainda mais o sono, que fica ainda mais superficial. É preciso descansar nos horários certos e despertar no momento necessário.

Fazer exercícios em jejum

A psicóloga reforça que a prática de atividade física ajuda a acelerar a elevação da temperatura e faz com que o corpo fique mais rapidamente sintonizado e atento. O problema, segundo nutricionistas, é incluir a atividade física como mais uma tarefa feita na ansiedade e sem atenção e, por isso, feita sem a alimentação correta. Não tomar café da manhã antes de malhar ou correr prejudica não só a prática da atividade como o impulso energético do dia. Lembre que os chás verde, mate e preto, além do café são estimulantes que devem ser usados pela manhã e evitados à noite.

Silvia recomenda que pessoas que tenham insônia não tomem estimulantes em nenhum momento do dia. Elas devem procurar o tratamento adequado.

Por que as pessoas ficam mais mal humoradas na segunda-feira?

O mau humor e a falta de disposição do início da semana, especialmente na segunda-feira, têm justificativa no comportamento do sábado e do domingo. A psicóloga Silvia Conay analisa que estar insatisfeito com a vida e o trabalho fazem com que algumas pessoas sintam que apenas nos dias em que não trabalham estão de fato sendo felizes e, por isso, a segunda-feira representa o momento de lidar com as situações adversas. Além disso, a vida social agitada do fim de semana fazem com que normalmente se durma mais tarde e acorde mais tarde, desregulando o relógio biológico.

— Ao dormir mais tarde no domingo e precisar acordar no horário normal de trabalho na segunda, a pessoa fica privada de sono. E dormir pouco causa mau-humor mesmo — explica.

Segundo ela, a tendencia é que na terça-feira a situação melhore, já que uma noite de sono bem dormida é suficiente para recuperar o descanso e o relaxamente necessários para dar disposição para as atividades do dia seguinte.


Fonte: EXTRA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *