Category Archives: Neurologia

Em tratamento com canabidiol há dois meses, convulsões de criança iguaçuense diminuíram 90%

Em tratamento com canabidiol há dois meses, convulsões de criança iguaçuense diminuíram 90%

A criança iguaçuense já tem experimentado dos resultados do tratamento com o remédio derivado da maconha. Atualmente com 12 anos, o menino nasceu com epilepsia refratária, um distúrbio neurológico que causa várias convulsões ao longo do dia. Ele é a primeira pessoa a ser tratar com a substância em Foz do Iguaçu.

Justiça obriga Estado a fornecer canabidiol para paciente que sofre de epilepsia

canabidiol

A 3ª Câmara de Direito Público do TJ confirmou decisão da comarca de Chapecó e determinou que o Estado forneça, em 30 dias, o medicamento a base de canabidiol para uma paciente portadora da síndrome de Lennose-Gastaut (epilepsia refratária). O acórdão estabeleceu, ainda, o sequestro de valores em caso de descumprimento da medida.

9 sinais precoces de demência

9 sinais precoces de demência

Tropeçar com frequência e prostração são sintomas

Um quadro de demência vai muito além da perda de memória – essa condição complicada é marcada por uma série de sintomas, especialmente no início. Mas eles podem ser sutis e nem sempre fáceis de reconhecer. Então, como saber se você ou um ente querido está mostrando sinais de Alzheimer ou outra forma de demência? De acordo com especialistas, qualquer alteração que seja diferente do comportamento habitual de uma pessoa pode ser um motivo de preocupação. Dê uma olhada em alguns dos primeiros sinais de demência e saiba reconhecer o problema precocemente:

Anvisa autoriza prescrição de remédios com canabidiol e THC no país

Resolução que tira substâncias da lista de proibições foi publicada nesta segunda

Anvisa autoriza prescrição de remédios com canabidiol e THC no país

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a prescrição e a importação de medicamentos e produtos com canabidiol e/ou tetrahidrocanabidiol (THC), substâncias encontrada na maconha e muito utilizadas em remédios que inibem convulsões. A autorização foi divulgada por meio da Resolução 66 da Anvisa, publicada nesta segunda-feira no Diário Oficial da União.

Na prática, a partir de agora o THC também passa a ser regulamentado, antes o componente só era permitido de maneira secundária, ou seja, quando estava presente em algum medicamento com composição permitida.

Criança com 30 convulsões ao dia tem 5 crises em 60 dias após canabidiol

Com o Canabidiol menina passou de 30 convulsões ao dia para 5 crises em 60 dias

Há dois meses Raquel Daniele Ferreira, de seis anos, utiliza um medicamento à base de canabidiol como tratamento da Síndrome de West. A menina mora com a família em Jupi, no Agreste de Pernambuco, e já chegou a ter 137 convulsões em 12 dias e 30 espasmos em 24 horas. Mas, após o uso do remédio, ela teve cinco crises em dois meses. “Saber que existia uma medicação que poderia trazer o alívio à minha filha foi a maior alegria que eu tive”, diz a autônoma Ivanise Ferreira, mãe da menina.

USP desenvolve técnica mais precisa para diagnóstico do mal de Parkinson

Aos 52 anos, a aposentada Osmaraci Aparecida Galiardi sofre com os movimentos involuntários do corpo provocados pelo Mal de Parkinson. Ela relembra como foi difícil o diagnóstico da doença, quando ainda tinha 31 anos, e conta que enfrentou por meses os sintomas, sem o tratamento adequado.

FDA aprova Vraylar (cariprazine) para tratar esquizofrenia e transtorno bipola

vraylar

O regulador de saúde norte-americano (FDA) aprovou o medicamento Vraylar (cariprazine) em cápsulas para tratar a esquizofrenia e o transtorno bipolar em adultos.

A eficácia do Vraylar no tratamento da esquizofrenia foi demonstrada em três ensaios clínicos que avaliaram 1754 participantes ao longo de seis semanas. Em cada um dos ensaios, o Vraylar reduziu os sintomas da esquizofrenia em comparação com o placebo.

A eficácia do Vraylar no tratamento do transtorno bipolar foi mostrada em três ensaios clínicos de três semanas com 1037 participantes, onde o medicamento se revelou eficaz na redução dos sintomas da doença.

 

Fonte

Anvisa aumenta rigor e restringe autorização do canabidiol apenas para epilepsia

canabidiol

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu aumentar o rigor na hora de conceder autorização para importação de remédios à base de canabidiol, um dos princípios ativos da maconha.

A agência só está permitindo a importação do produto quando o caso corresponder aos pré-requisitos exigidos pelo Conselho Federal de Medicina (CFM). O conselho diz que o canabidiol só pode ser usado quando não há nenhuma outra alternativa de tratamento.

Nove fatores de risco controláveis podem ser responsáveis por 2/3 dos casos de Alzheimer

Vitaminas C e E, café, estatinas, medicamentos para baixar a pressão e drogas anti-inflamatórias protegem contra a doença, diz estudo

Nove fatores de risco controláveis podem ser responsáveis por dois terços dos casos de Alzheimer no mundo, sugere uma análise publicada na “Journal of Neurology Neurosurgery & Psychiatry”, o que indica a complexidade do desenvolvimento da doença e a variedade dos fatores de risco.

Estratégias preventivas como dieta, medicamentos, química corporal, saúde mental, doenças pré-existentes e estilo de vida podem ajudar a frear a demência — o que é particularmente importante, já que a doença não tem cura.

FDA aprova novo medicamento para tratar a esquizofrenia e para uso add-on no tratamento do transtorno depressivo maior (TDM)

A FDA aprovou Rexulti (brexpiprazole) para o tratamento em adultos com esquizofrenia e como um add-on para o tratamento do transtorno depressivo maior em adultos.

rexulti-brexpiprazole-86423480

A esquizofrenia é uma doença crônica, incapacitante e com desordem cerebral grave. Tipicamente, os sintomas são percebidos pela primiera vez em adultos com menos de 30 anos e incluem ouvir vozes, acreditar que outras pessoas estão lendo ou querendo controlar seus pensamentos e desconfiança.

Ministério da Fazenda retira impostos de medicamentos importados por pessoas físicas

Entrega poderá ser feita a domicílio, sem recolhimento dos tributos, desde cumpridas regras da Anvisa

Ministério da Fazenda retira impostos de medicamentos importados por pessoas físicas

A Receita Federal facilitou a importação de medicamentos destinados a pessoas físicas, como o canabidiol, utilizado para reduzir a frequência e a intensidade de convulsões em pacientes com epilepsia refratária. Uma portaria publicada nesta segunda-feira no Diário Oficial da União permite que esses remédios comprados no exterior por meio de encomenda aérea e entregues por courrier sejam isentos de impostos.

Remédio chinês que desacelera Alzheimer entrará em fase de testes clínicos

adult helping senior in hospital

Medicamento mostrou melhora da memória e das habilidades cognitivas de animais

Um medicamento elaborado por cientistas chineses que conseguiu resultados positivos na desaceleração do avanço do Alzheimer em animais entrará em breve em fase de testes clínicos, anunciaram os responsáveis pelo projeto.

ONG alerta para aumento de casos de derrame precoce; saiba identificar os sintomas

derrame-avc-jovens-adolescentes-20110901-original

Se você acredita que derrames afetam apenas idosos, pense de novo. Esse é o alerta feito por uma organização britânica, que divulgou um relatório revelando um crescimento “preocupante” de casos da doença entre homens e mulheres mais jovens, ou seja, de 40 a 54 anos.

Nem todo tremor nas mãos é Parkinson

Parkinsons

Primeiramente, existem duas questões fundamentais: “nem todo tremor é doença de Parkinson” e “nem todo paciente com doença de Parkinson tem tremor”. Em relação ao tremor, a principal causa deste movimento não é a doença de Parkinson, mas outra condição, que é o tremor essencial.

Entenda a liberação do uso de Canabidiol

Desde o dia 14 de janeiro o Canabidiol (ou CBD), uma das substâncias presentes na maconha, foi retirado da lista F2, composta por substâncias psicotrópicas de uso proscrito (proibido) no Brasil, para integrara a C1, que reúne substâncias sujeitas a controle especial, ou seja, que podem ser prescritas pelo médico por meio de receita em duas vias.

4colcanabidiol-maconha-legal

A decisão foi tomada com base em um relatório produzido pela coordenadoria de produtos controlados da agência, que concluiu que o canabidiol não possui o efeito psicoativo do THC. Por essa razão, sua manutenção na lista F2 seria incorreta.

Norte-americanos testam medicamentos para evitar a epilepsia pós-lesão.

A epilepsia pós-traumática é a manifestação mais recorrente da doença em jovens e adultos, só nos Estados Unidos são 30 mil caos por ano.

medicamentoDevido aos altos índices, o país está desenvolvendo o estudo Keppra no Washington Hospital Center e no National Children’s Medical Center sob o comando do doutor Pavel Klein. O intuito dos pesquisadores é testar a eficácia do medicamento Tompax Keppra se ingerido imediatamente após um trauma cerebral.

A pesquisa contará com 90 pacientes que serão medicados horas depois da chegada à sala de emergência. O tratamento deve permanecer por um período de um a três meses.

O estudo ainda enfrentará grandes obstáculos, visto que a doença pode se desenvolver nos anos posteriores ao trauma e os médicos precisam ficar bem atentos para garantir um diagnóstico precoce que nesse caso é crucial. Além disso, é preciso se certificar de que o medicamento não irá comprometer a recuperação do paciente.

Apesar de prematura, a nova aposta contra a epilepsia pós-lesão já foi testada em 60 pacientes e nenhum deles apresentou efeitos colaterais graves.

www.farmasupply.com.br

FONTE:http://jornalciencia.com.br/saude/corpo/570-norte-americanos-testam-medicamentos-para-evitar-a-epilepsia-pos-lesao

Rasagilina pode retardar progressão do Parkinson

parkinson

A doença de Parkinson é grave. Seus sintomas, entre eles os conhecidos tremores, a lentidão de movimentos e a rigidez muscular, manifestam-se primeiro de forma sutil, mas depois evoluem progressivamente, prejudicando pouco a pouco a qualidade de vida do paciente. Sua incidência é alta. Calcula-se que um em cada 100 indivíduos com mais de 65 anos desenvolvam a enfermidade. Até por essa gravidade, a ciência tem investido na procura de novas informações que elucidem o mecanismo da enfermidade e também no desenvolvimento de drogas mais eficazes. Felizmente, há bons resultados desses esforços. Hoje temos um ótimo arsenal medicamentoso, que ao lado de outras formas de tratamento como a fisioterapia e a fonoaudiologia, além de outras atividades físicas, proporcionam ao paciente uma boa qualidade de vida por muitos anos.

Estado é condenado a fornecer remédio para tratamento de criança com epilepsia

Farma Supply

 

O juiz titular da 3ª Vara de Fazenda Pública e Registros Públicos de Campo Grande, José Ale Ahmad Netto, condenou o Estado de Mato Grosso do Sul a fornecer gratuitamente ao autor R.T.C., o medicamento KEPPRA 250 mg, pelo tempo necessário ao seu tratamento da patologia de Epilepsia.

Consta no autos que o autor, uma criança de 6 anos, é portador da síndrome epiléptica especial CID G 40.5, desde 1 ano de idade,  além de ser fármaco-resistente e apresentar doença refratária (crises recorrentes, com internações em CTI), sendo que na  última vez em que esteve internado, sofreu  três paradas cardíacas.

Assim, em razão de seu quadro clínico, foi prescrito a R.T.C. o medicamento KEPPRA (LEVETIRACETAM) 250mg, por tempo indeterminado, pois ele atua no controle de crises, causando a diminuição no número de internações do paciente.

O autor narra que o medicamento KEPPRA é importado da França e não é comercializado em farmácias nacionais e nem fornecido pelos órgãos públicos de saúde, além de seu  custo ser de aproximadamente R$ 1.350,00 cada caixa, sendo que seria necessário para seu tratamento o equivalente a três caixas por mês, o que somaria no total R$ 4.500,00.

Por não suportar bancar o valor do medicamento, o autor requer em juízo para que o réu lhe forneça 120 comprimidos mensais do medicamento KEPPRA 250mg, por tempo indeterminado, enquanto durar seu tratamento, observando sobre o possível aumento da dose diária do medicamento.

Em contestação, o Estado de Mato Grosso do Sul requer a improcedência do pedido, sustentando que há outros medicamentos que podem conter o mesmo efeito terapêutico do KEPPRA e que  tem por objetivo, racionalizar as compras de medicamentos. O réu também afirma que um bom gestor de saúde deve fazer uma seleção dos medicamentos e adquiri-lo, para evitar, assim, a falta de medicamentos.

O réu também relata que é de responsabilidade da administração pública a lista de medicamentos e a decisão sobre a melhor forma terapêutica para um paciente e para toda a população com base em estudos científicos de rigor metodológico e revisões sistemática. E, sobre a inclusão de um medicamento na lista, é feita a comparação de medicamentos que tenham finalidades semelhantes quanto a sua eficácia e custo comparativo, decidindo-se com base nas evidências científicas.

O Estado de Mato Grosso do Sul afirma que o medicamento requerido pelo autor não possui registro na ANVISA, o que torna sua comercialização ilegal em território nacional e narra que existe tratamento gratuito para epilepsia pela Casa de Saúde e que, por isso, não há necessidade do fornecimento do medicamento importado.

Sobre o fornecimento do medicamento, o réu também sustenta que a Secretaria de Saúde não está autorizada devido à Portaria SAS/MS nº 864/2002 (Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Epilepsia Refratária) e à Legislação Sanitária Federal e que, caso for determinada a importação da medicação pelo Estado, o Judiciário estará forçando-o a infringir normas de vigilância sanitária, além de produzir um ônus nas contas públicas.

Para o juiz, “o perito que subscreve o laudo, concluí que foram esgotados os recursos terapêuticos convencionais para tratamento do autor, sendo o medicamento pleiteado a única solução viável para o tratamento. Conclui-se que doença é grave, com prognóstico bastante reservado em decorrência da piora progressiva apresentada e o tratamento convencional não está surtindo o resultado esperado”.

O magistrado também sustenta que “está comprovado que o quadro de saúde do autor é delicado, arrastando-se o seu sofrimento desde seus seis meses de vida, havendo indicação por especialista que acompanha o caso para o uso do medicamento pleiteado. Então, evidenciada a relação do pedido com a necessidade do autor, cumpre ao ente público providenciar a assistência postulada, isso porque em jogo se encontra um bem maior que tudo que foi alegado, que é o direito dessa criança à vida e à saúde”.

Assim, o juiz conclui que “é evidente o direito do autor de receber o medicamento necessário ao tratamento de sua enfermidade, haja vista que preleciona o art. 196 da Constituição Federal que a saúde é direito de todos e dever do Estado, pelo que o mesmo não pode esquivar-se de sua obrigação traçada constitucionalmente, inclusive sem citar de forma individualizada qualquer outro atendimento emergencial que impossibilite o cumprimento da prestação em comento”.

Desse modo, o juiz julgou procedente o pedido ajuizado por R.T.C. e condena o Estado de Mato Grosso do Sul a fornecer gratuitamente o medicamento  KEPPRA 250 mg pelo tempo necessário ao seu tratamento. Assim, o autor deverá semestralmente apresentar receita médica, para comprovar e garantir a real necessidade do uso do medicamento requerido.

Para ler mais notícias sobre Medicamentos, clique em blog.farmasupply.com.br. Visite nosso site www.farmasupply.com.br, siga-nós também no Twitter e curta a nossa página no Facebook.

 Fonte

UE aprova Fampyra® da Biogen para doentes com disfunções da marcha

Farma Supply

Publicado por Farma Supply. Fonte: http://www.rcmpharma.com/actualidade/medicamentos/30-08-11/ue-aprova-fampyra-da-biogen-para-doentes-com-disfuncoes-da-marcha

A Biogen Idec acaba de anunciar, em comunicado de imprensa, que recebeu autorização de Introdução no Mercado Condicionada, emitida pela Comissão Europeia, para distribuição do Fampyra® (comprimidos de fampridina de libertação prolongada) nos diversos países da zona euro. Esta nova terapêutica melhora a capacidade de marcha em doentes adultos com Esclerose Múltipla (EM) que apresentem EDSS entre 4 e 7.

O Fampyra® é o primeiro tratamento que demonstrou ser eficaz em pessoas com todos os tipos de EM, tanto nos surtos como nas fases de remissão, como em formas progressivas e pode ser usado em monoterapia ou concomitantemente com outras terapêuticas para a EM, incluindo medicamentos imunomoduladores.

“Com esta aprovação da Comissão Europeia, o Fampyra® vai poder fazer a diferença na vida de milhares de doentes independentemente do seu tipo de EM”, explica o Prof. Dr. Bernd C. Kieseier do Neurological Hospital da Universidade de Dusseldorf, na Alemanha. “A diminuição funcional causada pela EM, em especial a disfunção da marcha, tem um grande impacto na vida dos doentes com EM, quer a nível físico, quer emocional. Assim, o Fampyra® surge como a solução terapêutica para um problema que até aqui não tinha tratamento”.

Os doentes com EM consideram, à medida que a doença evolui, que a marcha é a função mais importante. A perda da capacidade de andar significa uma perda da independência, da capacidade de trabalho e, consequentemente uma redução do seu nível de rendimentos.

“A disfunção da marcha é uma das consequências mais devastadoras da EM e das que mais preocupa os doentes, pois tem um grande impacto na qualidade de vida assim como na contribuição para a vida em sociedade”, afirma Douglas E. Williams, Vice-Presidente do departamento de I&D da Biogen Idec. “Há doentes com EM em todo o mundo a beneficiar de terapêuticas da Biogen Idec e o Fampyra® é o terceiro produto que a companhia traz para a Europa. Estamos muito satisfeitos por oferecer aos doentes esta nova terapêutica oral que melhora a capacidade de andar”.

O Fampyra® foi desenvolvido pela Acorda Therapeutics, Inc., que comercializa o medicamento nos Estados Unidos sob o nome comercial Ampyra® (dalfampridina) comprimidos de libertação prolongada, 10 mg. A Biogen Idec irá agora comercializar e desenvolver o produto fora dos EUA, sob um acordo de licenciamento com a Acorda.

“Estudos demonstram que mesmo pequenas disfunções da marcha podem ter um impacto negativo na vida do doente. A aprovação europeia do Fampyra® permite que pessoas com EM tenham acesso a uma nova terapêutica que melhora a capacidade de andar em disfunções de ligeiras a graves”, disse Ron Cohen, Director-geral da Acorda. “Desde o seu lançamento nos Estados Unidos em 2010, este medicamento foi prescrito a dezenas de milhares de pessoas com EM. Continuaremos a trabalhar com a Biogen Idec para poder levá-lo para cada vez mais países”.

O Fampyra® aumenta a função neurológica através da melhoria da condução dos impulsos nervosos através dos neurónios desmielinizados. Em ensaios clínicos, os doentes que responderam ao Fampyra® tiveram uma melhoria de velocidade da marcha de 25% e ficou demonstrado que o Fampyra® traz grandes melhorias à capacidade de andar.

Sobre o Fampyra®

Fampyra® é uma formulação em comprimidos de libertação prolongada da substância activa fampridina (4-aminopiridina, 4-AP ou dalfampridina). Fampyra® foi desenvolvido para melhorar a marcha em doentes adultos com esclerose múltipla. Na EM, a mielina danificada expõe canais na membrana dos axónios, levando a fugas de iões de potássio e ao enfraquecimento da corrente eléctrica enviada através dos nervos. Há estudos que demonstram que fampridina pode aumentar a condução ao longo dos nervos danificados, o que pode resultar numa melhoria da capacidade da marcha. Esta fórmula de libertação prolongada foi desenvolvida e está a ser comercializada nos EUA pela Acorda Therapeutics, Inc. sob o nome comercial AMPYRA (dalfampridina) comprimidos de libertação prolongada, 10 mg.

  • Solicite a cotação deste Medicamento.

Para ler mais notícias sobre Medicamentos, clique em blog.farmasupply.com.br. Visite nosso site www.farmasupply.com.br, siga-nós também no Twitter e curta a nossa página no Facebook.