Category Archives: Hepatologia

Qual a possibilidade de cura com os novos medicamentos para hepatite C?

hepatite-c-ilustracao

Um dos temas amplamente discutidos durante o Congresso da ALEH no Chile foi o das as possibilidades de cura com os novos medicamentos para tratamento da hepatite. A continuação faço uma compilação do que foi apresentado nesse tema.

Os novos esquemas de tratamentos são os responsáveis por uma verdadeira revolução no tratamento da hepatite C.

Na era dos tratamentos com interferon existiam muitos fatores negativos para se obter sucesso com a terapia, fatores esses como carga viral alta, fibrose avançada, peso acima do ideal, resistência à insulina, diabetes tipo 2, co-infecção HIV/HCV, transplantados de fígado, pacientes que fracassaram a um tratamento anterior e, ainda, vários outros fatores que prejudicavam o tratamento.

Na nova era dos medicamentos orais libres de interferon, chamados de medicamentos de ação direta ou pela sua abreviação “DAA”, a maioria dos tratamentos é realizado em 12 semanas atingindo índices de cura acima de 90% em pacientes sem cirrose.

Na atualidade qualquer medicamento que obtenha uma cura inferior a 90% já está sendo considerado de resposta sub-otima e raramente será recomendado ou será colocado no mercado.

Com os novos medicamentos existe um único fator negativo, que é a cirrose. Pacientes com cirrose podem ter menor resposta ao tratamento ou precisar de esquemas mais longos de tratamento.

Mas é necessário entender que existem dois tipos de cirrose, a “cirrose compensada” e a “cirrose descompensada” e dentro deles existem diferentes níveis de avanço da doença.

Pacientes sem cirrose chegam a ter até 100% de possibilidades de cura com os novos medicamentos, já nos pacientes com cirrose as possibilidades de cura são variáveis conforme o estágio da cirrose, sendo de até 95% nos casos de cirrose leve podendo chegar a somente 50% nos casos graves de cirrose descompensada no estágio 4.

Sintomas de problemas no fígado

Fígado_saude

Os primeiros sinais e sintomas de problemas no fígado são a dor abdominal do lado direito e a barriga inchada. Além desses, também podem ocorrer os & sinais de cor amarelada na pele e nos olhos e urina escura, de cor amarelo forte.

Cerca de 30% das pessoas com hepatite C não sabem que estão infetadas

Apesar de geralmente ser assintomática, deve ter atenção a sinais como cansaço, lentificação psico-motora, depressão ou degradação do estado físico.

Cerca de 30% das pessoas com hepatite C não sabem que estão infetadas

Sabia que só na Europa há 19 milhões de pessoas infetadas com hepatite C? E que com os novos medicamentos é possível curar entre 90 a 95% dos casos de hepatite C?

Hepatite C: Tratamentos são nova esperança para pacientes

Lançados na Índia, MyHep ™ e MyHep LVIR ™ são tratamentos genéricos utilizados no tratamento da Hepatite C.

Hepatite C: Medicamento é nova esperança para pacientes

MyHep, medicamento genérico do Sofosbuvir,  é indicado como componente de um regime de combinação antiviral, geralmente com Ribavirina  e Interferon, sendo principalmente prescrito para o tratamento de hepatite C crônica (genótipos 1, 2, 3, e 4).

FDA aprova Technivie para o tratamento da hepatite crônica C genótipo 4

20140319

A FDA aprovou o Technivie (Ombitasvir, Paritaprevir e Ritonavir) para uso em associação com a Ribavirina, para o tratamento do vírus da hepatite C (HCV) genótipo quatro infecções em pacientes sem cicatrizes e má função hepátita (cirrose).

Technivie em combinação com a Ribavirina é o primeiro medicamento que demonstrou a segurança e eficácia no tratamento de infecções por HCV genótipo 4, sem necessidade de co-administração de Interferon.

O que é uma Hepatite

20140319083053828725i

A hepatite é uma inflamação no fígado que, dependendo do agente que a provoca, se pode curar apenas com repouso, requerer tratamentos prolongados, ou mesmo um transplante de fígado quando se desenvolvem complicações graves da cirrose como a falência hepática, ou o cancro no fígado, que podem levar à morte.

FDA aprova nova droga antibacteriana Avycaz

20140909220027_capa

A FDA aprovou na última semana Avycaz (ceftazidime-avibactam), um novo medicamento anti-bacteriano, para o tratamento de adultos com infecções complicadas intra-abdominal (cIAI), em combinação com metronidazol, e infecções do trato urinário complicadas (Cuti), incluindo infecções do rim (pielonefrite), que têm pouca ou nenhuma alternativas de tratamento.
Avycaz é um medicamento de combinação fixa contendo ceftazidime, uma droga antibacteriana cefalosporina previamente aprovado, e avibactam, um novo inibidor de beta-lactamase.

FDA aprova primeiro comprimido de combinação para tratamento de hepatite C

 

O FDA (Food and Drugs Administration – EUA) aprovou na última semana o Harvoni (ledipasvir e sofosbuvir) para o tratamento da hepatite C crônica (HCV) genótipo 1.

Harvoni é o primeiro comprimido combinado que recebe aprovação, sendo também o primeiro regime aprovado que não requer administração com interferon e ribavirina, dois medicamentos aprovados pela FDA também usados para o tratamento de HCV.

102078739-harvoni.530x298

Conheça mais sobre o medicamento kyprolis

Kyprolis, também conhecido como Carfilzomib, é um inibidor do proteassoma, indicado para o tratamento de pacientes com mieloma múltiplo que tenham recebido pelo menos duas terapias anteriores.

Kyprolis demostrou eficácia em pacientes com mieloma múltiplo refractário recaída e após tratamento com outros agentes disponíveis, incluindo Velcade e Revlimid.

Ensaios clínicos demostraram que Kyprolis teve efeitos positivos no tratamento de mieloma, bem como efeitos secundários manejáveis. Este medicamento recebeu aprovação da FDA para o tratamento de pacientes com mieloma múltiplo em recaída e/ ou refractário com base nos resultados de um grande estudo de Fase II (PX-171-003-A1), envolvendo 266 doentes que tinham recebido uma média de cinco tratamentos de mieloma antes de entrar neste julgamento, onde 23% dos pacientes atingiram uma resposta parcial ou melhor.

Em outro ensaio de Fase II (PX-171-004), envolvendo 165 doentes com reincidência ou mieloma múltiplo refratário após 1-3 terapias, Kyprolis proporcionou uma das taxas de resposta de um único agente mais altos e duração de resposta mais longo informou nesta população de pacientes. Os resultados foram avaliados, tanto para aqueles que nunca tiveram e que já havia recebido Velcade.

Fonte: The MMRF

Você sabe diferenciar as hepatites A, B, C, D e E?

As hepatites são uma inflamação do fígado e podem ser causadas por vírus, uso de alguns remédios, álcool e outras drogas, além de doenças autoimunes, metabólicas e genéticas. Diagnosticar a hepatite precocemente é a melhor forma de obter maiores chances de eficácia com o tratamento.

Você sabe diferenciar as hepatites A, B, C, D e E

A hepatite é uma inflamação do fígado e pode ser causada por vírus, uso de alguns remédios, álcool e outras drogas, além de doenças autoimunes, metabólicas e genéticas. Diagnosticar a hepatite precocemente é a melhor forma de obter maiores chances de eficácia com o tratamento.

É importante lembrar que toda mulher grávida precisa fazer o pré-natal e os exames para detectar a hepatites, a aids e a sífilis, pois esse cuidado é fundamental para evitar a transmissão de mãe para filho.

Syprine – Tratamento para doença de Wilson

Muitas pessoas desconhecem, mas a doença de Wilson tem tratamento.

Com a terapia adequada, a evolução da doença pode ser interrompida e muitas vezes os sintomas podem ser melhorados. O tratamento visa à remoção do excesso de cobre acumulado e previne o seu novo acúmulo.

O tratamento para a doença de Wilson é um processo longo. Os pacientes podem ficar mais doentes a cada dia, por isso o tratamento imediato é indispensável. O atraso do tratamento pode causar danos irreversíveis.

Os pacientes com hepatite aguda ou insuficiência hepática podem realizar o transplante de fígado. Pacientes investigados ou tratados para a doença de Wilson devem ser cuidados por especialistas em doença de Wilson. Parar o tratamento pode resultar em morte. Diminuir a dosagem do medicamento, também pode resultar na progressão da doença.

Tomar o seu medicamento como prescrito é extremamente importante para o sucesso do tratamento da doença de Wilson.

Para maiores informações sobre este medicamento, consulte a síntese da bula no nosso site: http://www.farmasupply.com.br/syprine.php.

FDA aprova Sovaldi para a hepatite C crônica

Os EUA Food and Drug Administration aprovou Sovaldi (sofosbuvir) para tratar o vírus da hepatite C crônica (HCV). Sovaldi é o primeiro medicamento que tem demonstrado a segurança e eficácia para o tratamento de certos tipos de infecções de HCV sem a necessidade de co-administração de interferão.
 Hepatite-C
“A aprovação de hoje representa uma mudança significativa no paradigma do tratamento para alguns pacientes com hepatite C crônica”, disse Edward Cox, MD, diretor do Escritório de Antimicrobianos Produtos no Centro do FDA para Avaliação e Pesquisa de Drogas.
Sovaldi é a segunda droga aprovada pelo FDA nos últimos duas semanas para tratar a infecção crônica de HCV. Em 22 de novembro, o FDA aprovou Olysio (simeprevir).
A hepatite C é uma doença viral que provoca a inflamação do fígado que pode conduzir a função do fígado reduzida ou insuficiência hepática. A maioria das pessoas infectadas com o HCV não têm sintomas da doença até que os danos do fígado torna-se evidente, o que pode levar vários anos. Algumas pessoas com infecção crônica de HCV desenvolvem cicatrizes e má função hepática (cirrose) ao longo de muitos anos, o que pode levar a complicações como hemorragias, icterícia (pele ou olhos amarelados), acúmulo de líquido no abdômen, infecções ou câncer de fígado. De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças, cerca de 3,2 milhões de americanos estão infectados com HCV.
Sovaldi é um inibidor de nucleótido análogo que bloqueia uma proteína específica necessária pelo vírus da hepatite C, para replicar. Sovaldi é para ser usado como um componente de uma combinação de regime de tratamento antiviral para a infecção crónica de HCV. Existem vários tipos diferentes de infecção pelo HCV. Dependendo do tipo de infecção de HCV um doente tem, o regime de tratamento pode incluir Sovaldi e ribavirina ou Sovaldi, ribavirina e interferão peguilado-alfa.Ribavirina e peginterferão alfa-são duas drogas também utilizadas para tratar a infecção pelo HCV.
Eficácia do Sovaldi foi avaliada em seis ensaios clínicos consistem de 1.947 participantes que não haviam recebido tratamento para a sua doença (tratamento ingênuo) ou não responderam ao tratamento anterior (com experiência de tratamento), incluindo participantes co-infectados com HCV e HIV. Os ensaios foram concebidos para medir se o vírus da hepatite C já não foi detectada no sangue de pelo menos 12 semanas após o fim do tratamento (a resposta virológica sustentada), sugerindo infecção do HCV de um participante tenha sido curada.
Os resultados de todos os ensaios clínicos mostraram um regime de tratamento contendo Sovaldi foi eficaz no tratamento de vários tipos de vírus da hepatite C. Além disso, Sovaldi demonstrou eficácia em participantes que não poderiam tolerar ou tomar um regime de tratamento à base de interferon e em participantes com câncer de fígado à espera de transplante de fígado, abordando necessidades médicas não atendidas nessas populações.
Os efeitos colaterais mais comuns relatados em participantes de estudos clínicos tratados com Sovaldi e ribavirina foram fadiga e dor de cabeça. Nos participantes tratados com Sovaldi, ribavirina e peginterferão alfa-, os efeitos colaterais mais comuns relatados foram: fadiga, dor de cabeça, náusea, insônia e anemia.
Sovaldi é a terceira droga com designação terapia inovadora para receber a aprovação da FDA. O FDA pode designar uma droga como uma terapia inovadora, a pedido do patrocinador, se evidência clínica preliminar indica que a droga pode demonstrar uma melhoria substancial sobre terapias disponíveis para pacientes com doenças graves ou com risco de vida.Sovaldi foi revisto no âmbito do programa de revisão prioritária da FDA, que prevê uma revisão acelerada de medicamentos que tratam doenças graves e, se aprovado, iria proporcionar melhoria significativa na segurança ou eficácia.
Fonte: http://www.fda.gov/newsevents/newsroom/pressannouncements/ucm377888.htm