Category Archives: Medicamentos Importados

FDA expande utilização de Opdivo para tratar o câncer de pulmão

A FDA anunciou a ampliação da utilização do Opdivo (nivolumab) para tratar pacientes com câncer avançado (metastático) de pulmão de não pequenas células escamosas (CPNPC), com progressão durante ou após a quimioterapia à base de platina.

febrero_mundial_1828_03165812

Conheça o medicamento para melanoma que ativa o sistema imunológico para combater cânceres mortais

d56cea35cf69f94a3eebe9789fa48ebb

Aprovado de maneira acelerada pela FDA, medicamento contra o melanoma apresenta resultados positivos para pacientes que já não respondiam a outras tratamentos.

Estado do Rio tem catorze casos de malária

Maioria das infecções ocorreu na Região Serrana; Fiocruz estuda padrão molecular da doença

malaria

O estado do Rio tem catorze casos de malária. A doença poderia ser uma consequência do calor e da seca recorde da estação. O desequilíbrio ambiental pode estar entre as possíveis causas de um episódio de malária autóctone — em bom português, nativa do lugar — no Estado do Rio. São poucos casos, segundo o geneticista da UFRJ Mariano Zalis, que participa do grupo responsável pelo estudo a malária na Mata Atlântica, liderado pela Fiocruz. Mas o padrão molecular do parasita, segundo ele, parece ser novo, para uma infecção da qual o estado se considerava oficialmente livre há quatro décadas. Não há motivo para pânico, mas sim para cuidados na hora de se aventurar em ambientes naturais, o que deve ser feito sempre com a proteção de repelentes de insetos.

FDA aprova “cola” de primeira uso interno; Entenda:

FDA aprovou TissuGlu, o primeiro adesivo para tecido para uso interno.

Closeup of young woman with hand on her stomach

TissuGlu é um adesivo à base de uretano que em uma cirurgião pode ser utilizada para ligar as abas de tecido durante uma cirurgia de abdominoplastia, feitas para remover o excesso de gordura e pele ou para restaurar músculos abdominais enfraquecidos ou separados.

FDA aprova medicamento combinado para melhorar o controle glicêmico em pacientes com diabetes

Medicação classificada como “Primeira – Classe” combinada para melhorar o controle glicêmico em adultos com tipo 2 diabetes foi aprovado pela FDA.

postlslsl

Glyxambi é utilizado como adjuvante da dieta e exercício físico para a melhoria do controle glicêmico quando ambos empagliflozin e linagliptina são considerados tratamentos adequados.

FDA aprovou mais de 40 medicamentos novos em 2014

A Food and Drug Administration (FDA) aprovou 41 novas entidades moleculares em 2014, incluindo vários para o câncer, diabetes tipo 2, hepatite C e outras doenças graves.

Prescription Medication Spilling From an Open Medicine Bottle

“Muitas das 41 novas drogas têm potencial para agregar valor clínico signficante aos cuidados de milhares de pacientes com doenças graves ou em risco de vida”, escreveu John Jenkins, MD, diretor do Escritório de novas drogas de CDER.

EUA aprovam uso de Iclusig (ponatinib) para tratar leucemia

post - 02

Food and Drug Administration EUA (FDA) aprovou o uso do medicamento Iclusig (ponatinib) para tratar adultos com dois tipos raros de leucemia, a leucemia mielóide crônica (LMC) e a leucemia aguda linfoblástica cromossomo Philadelphia positivo (Ph + ALL).

O medicamento bloqueia certas proteínas que promovem o desenvolvimento de células cancerosas. A aprovação do Iclusig é importante porque oferece uma opção de tratamento para pacientes que não respondem a outras drogas.

Entenda a liberação do uso de Canabidiol

Desde o dia 14 de janeiro o Canabidiol (ou CBD), uma das substâncias presentes na maconha, foi retirado da lista F2, composta por substâncias psicotrópicas de uso proscrito (proibido) no Brasil, para integrara a C1, que reúne substâncias sujeitas a controle especial, ou seja, que podem ser prescritas pelo médico por meio de receita em duas vias.

4colcanabidiol-maconha-legal

A decisão foi tomada com base em um relatório produzido pela coordenadoria de produtos controlados da agência, que concluiu que o canabidiol não possui o efeito psicoativo do THC. Por essa razão, sua manutenção na lista F2 seria incorreta.

Melanoma: Veja como Prevenir

melanoma

O melanoma ou câncer de pele é um tumor maligno que se desenvolve na pele, mediante o aparecimento de manchas ou grãos com alteração de cor. A maior causa para esta condição é a exposição aos raios solares, por isso é importantes tomar medidas de precaução e para proteger a pele quando se encontra exposta ao sol.

Liberação do canabidiol pode aumentar nº de processos na Justiça

Para advogada, Código do Consumidor poderá ser usado para cobrar palnos de saúde; SUS deverá ser acionado pelo alto custo

3b82a611a5cc4ba2af8a2627108d19d7-noticias-noticias-cachoeira-do-sul-cachoeira-do-sul-noticias-portal-de-noticias-cachoeira-do-sul-portal-cachoeira-do-sul

A retirada do canabidiol da lista de substâncias proibidas no Brasil poderá levar a uma enxurrada de ações judiciais de pacientes, exigindo que convênios médicos e o Sistema Único de Saúde (SUS) paguem pela importação do produto. Essa análise de advogados especializados em diretio à saúde ouvidos pelo Estado.

Medicamento é esperança para vítimas de melanoma

942014-calor_intenso_rio_4246

Em dezembro do ano passado, a FDA, agência norte-americana que regula o setor de alimentos e remédios, autorizou o uso de uma nova terapia experimental imunológica, empregando uma droga chamada Keytruda para combater o melanoma avançado, um agressivo tipo de câncer de pele, sendo também utilizado para o tratamento do câncer de pulmão nos EUA.

Anvisa decide retirar o canabidiol da lista de substâncias de uso proibido

Obtenção de medicamentos com a substância será facilitada no país. Substância química é encontrada na maconha e tem utilidade terapêutica.

Anvisa retira canabidiol da lista de substâncias proibidas

 

 

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu nesta quarta-feira (14) retirar o canabidiol da lista de substâncias de uso proscrito.

Anvisa faz reunião que pode excluir medicamento à base de maconha da lista de substâncias proibidas

Órgão já simplificou os trâmites para a importação de produtos à base de canabidiol

2014-713111492-2014051194924.jpg_20140511

 

 Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) retoma nesta semana o debate que pode excluir o canabidiol — medicamento feito a partir da maconha — da lista de substâncias proibidas e reclassificá-lo como medicamento. A reunião da diretoria colegiada está marcada para a próxima quarta-feira (14).

Após 4 meses, mãe recebe remédio à base de maconha para tratar o filho

Liminar obrigou o governo de Goiás a fornecer o Canabidiol para a criança. Medicamento será usado por Pedro Henrique, 6, que tem paralisia cerebral.

2014-08-18-2696392canabidiol-thumb

Depois de quatro meses de espera, a assistente administrativa Patrícia Moreira dos Santos Pinho recebeu o medicamento Canabidiol (CDB), derivado da maconha, para tratamento do filho, de 6 anos, que tem paralisia cerebral e só se alimenta por sonda. Ela conseguiu que o governo de Goiás pagasse o remédio por meio de uma liminar na Justiça. O produto não é liberado para venda no Brasil, mas a mãe tem autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).  “É uma dose pequena, mas que pode restaurar a vida do meu filho completamente”, acredita.

FDA aprova Opdivo para melanoma avançado

A FDA concedeu aprovação acelerada para o medicamento  Opdivo (Nivolumab), um novo tratamento para pacientes com melanoma irressecável (não pode ser removido por cirurgia) ou metastático (avançado) que já não respondem a outros medicamentos.

Opdivo_1

 

O melanoma é o quinto tipo de câncer mais comum nos Estados Unidos. Ele forma em células de melanócitos do corpo, que se desenvolvem de pigmento da pele. O Instituto Nacional do Câncer estima que 76.100 americanos serão diagnosticados com melanoma e 9.710 morrerão da doença este ano.

CFM publica resolução que libera uso do canabidiol

Substância só poderá ser aplicada no tratamento de epilepsias da criança e do adolescente refratários aos tratamentos convencionais

644656bad24cf85a36674639fe45ef7f-noticias-noticias-cachoeira-do-sul-cachoeira-do-sul-noticias-portal-de-noticias-cachoeira-do-sul-portal-cachoeira-do-sul

O Conselho Federal de Medicina (CFM) publicou nesta terça-feira (16) no Diário Oficial da União resolução que aprova o uso do canabidiol para o tratamento de epilepsias da criança e do adolescente que não conseguem obter sucesso em tratamentos convencionais. A medida já havia sido anunciada pelo órgão na última quinta-feira.

A resolução restringe a prescrição compassiva do canabidiol às especialidades de neurologia e suas áreas de atuação, neurocirurgia e psiquiatria. Todos os profissionais deverão ser cadastrados no CRM/CFM, assim como os pacientes, que terão monitoramento de segurança e efeitos colaterais.

Ao requisitar o tratamento, os pacientes e seus responsáveis legais deverão ser esclarecidos sobre os riscos e benefícios potenciais do tratamento por Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE). Eles devem preencher os critérios de indicação e contraindicação para inclusão no uso compassivo e doses adequadas a serem utilizadas.

A resolução proíbe expressamente o uso da cannabis in natura para uso medicinal, assim como quaisquer outros derivados que não o canabidiol. O grau de pureza da substância será determinado pela Anvisa.

A norma será revista daqui a dois anos, quando serão avaliados os primeiros resultados e a literatura científica produzida deste então.

Fonte: O Globo

 

Médicos poderão prescrever substância derivada da maconha em todo o Brasil

Resolução do CFM (Conselho Federal de Medicina) libera prescrição do canabidiol no País

canabidiol-maconha-legal

Os médicos de todo o Brasil serão autorizados a prescrever o canabidiol, uma das substâncias derivadas da maconha,

Conheça mais sobre o medicamento Atriance

nelarabine-injection

Atriance é utilizado no tratamento Leucemia Linfoblástica Aguda de células T (LLA-T) e Linfoma Linfoblástico das células T (LBL-T), nos casos em que os pacientes não responderam ao tratamento de, pelo menos, dois regimes de quimioterapia, ou que tenham tido uma recaída após esses tratamentos.

Num estudo, seis pessoas de um subgrupo de 28 pacientes adultos, com recaídas ou persistência das doenças, apresentaram uma resposta completa com ou sem restauração dos níveis normais de célula do sangue, enquanto que um recebeu um transplante de células estaminais.

Segundo o Professor Dieter Hoelzer, da Universidade J.W.Goethe, na Alemanha, este medicamento importante e significativo para os pacientes afetados e para os seus médicos. A nelarabina pode oferecer uma oportunidade valiosa para pacientes com poucas opções, para avançarem para um tratamento potencialmente curativo. Muitas terapias utilizadas são combinações de fármacos citotóxicos que têm uma elevada taxa de toxicidade. A nelarabina administrada sem ser conjugada com outros fármacos tem demonstrado ser ativa e com um perfil previsível de efeitos secundários, e a forma como é administrada permite a alguns pacientes voltar a casa entre os ciclos de tratamento.

Para ter acesso ao orçamento de Atriance, bem como outros medicamentos classificados como importados não nacionalizados, entre em contato conosco aqui.

Oncaspar é opção de tratamento para pacientes com leucemia aguda linfoblástica recentemente diagnosticada

O medicamento pode ser usado como parte de um regime múltiplo da quimioterapia.

inyectable

Oncaspar foi um dos primeiros medicamentos aprovados pela FDA que trouxe em sua prescrição um novo formato, pensado para fornecer claramente informações concisas aos profissionais de saúde.

O uso de Oncaspar ao invés de Elspar (L-asparaginase), por exemplo, reduz de maneira considerável o número de injeções exigidas. Enquanto Elspar (L-asparaginase), são 21 injeções, para 3 injeções de Oncaspar no curso de 20 semanas de tratamento.

Para ter acesso ao orçamento de Oncaspar, bem como outros medicamentos classificados como importados não nacionalizados, entre em contato conosco aqui.

Conheça medicamento usado para tratamento de Câncer Colorretal Metastático

Stivarga demostrou ampliar a sobrevida global em pacientes com câncer colorretal metastático (CCRm), cuja doença havia progredido após tratamentos anteriores

1377206062_stivarga

Este medicamento é para tratar câncer de cólon ou do reto que se espalhou para outras partes do seu corpo e para o qual já tenha recebido tratamento prévio, e demostrou melhoria estatisticamente significativa na sobrevida global (SG) e sobrevida livre de porgessão (SLP) em comparação a placebo em pacientes com CCRm, cuja doença havia progredido após terapias-padrão aprovadas.

O Stivarga é um inibidor oral multiquinase que inibe várias quinases dentro dos mecanismos envolvidos no crescimento e progressão de tumores.

O medicamento foi desenvolvido e analisado segundo o progrma fast track, tendo recebido a designação de análise de prioridade da FDA. Essas designações são outorgadas pela FDA visando acelerar o desenvolvimento e análise de medicamentos para o tratamento de graves doenças e para atender à necessidades médicas não atendida (fast track), concedidas a medicamentos que ofereçam grandes avanços no tratamento ou que ofereçam um tratamentp quando não há nenhuma terapia adequada.

Para ter acesso ao orçamento de Stivarga classificados como importados não nacionalizados, entre em contato conosco aqui.