Category Archives: Medicamentos Importados

FDA aprova primeira droga para tratar especificamente arterite de células gigantes

 

Arterite

 

A US Food and Drug Administration hoje expandiu o uso aprovado de Actemra subcutânea (tocilizumab) para tratar adultos com arterite de células gigantes. Esta nova indicação fornece a primeira terapia aprovada pela FDA, específica para este tipo de vasculite.
“Nós agilizamos o desenvolvimento e revisão desta aplicação porque este medicamento preenche uma necessidade crítica para os pacientes com esta doença grave que tinha limitado opções de tratamento”, disse Badrul Chowdhury, MD, Ph.D., diretor da Divisão de Pulmonar, Alergia, E Produtos de Reumatologia no Centro de Avaliação e Pesquisa de Medicamentos da FDA.

A arterite de células gigantes é uma forma de vasculite, um grupo de distúrbios que resulta na inflamação dos vasos sanguíneos. Esta inflamação faz com que as artérias se estreitam ou se tornam irregulares, impedindo o fluxo sanguíneo adequado. Na arterite de células gigantes, os vasos mais envolvidos são os da cabeça, especialmente as artérias temporais (localizadas em cada lado da cabeça). Por esta razão, o distúrbio é às vezes chamado de arterite temporal. No entanto, outros vasos sanguíneos, incluindo grandes como a aorta, podem se inflamar em arterite de células gigantes. Tratamento padrão envolve altas doses de corticosteróides que são cônicos ao longo do tempo.

A eficácia e segurança de Actemra subcutâneo (injetado sob a pele) para arterite de células gigantes foram estabelecidas em um estudo duplo-cego, controlado por placebo, com 251 pacientes com arterite de células gigantes. O desfecho primário de eficácia foi a proporção de pacientes que conseguiram remissão sustentada da Semana 12 até a Semana 52. A remissão sustentada foi definida como ausência de sintomas de arterite de células gigantes, normalização de testes laboratoriais inflamatórios e diminuição do uso de prednisona (droga esteróide) . Uma proporção maior de pacientes que receberam Actemra subcutânea com regimes de prednisona padronizados alcançou a remissão sustentada da Semana 12 até a Semana 52 em comparação com os pacientes que receberam placebo com regimes de prednisona padronizados. A dose cumulativa de prednisona foi menor nos doentes tratados com Actemra relativamente ao placebo.

O perfil de segurança global observado nos grupos de tratamento Actemra foi geralmente consistente com o perfil de segurança conhecido de Actemra. Actemra carrega um aviso Boxed para infecções graves. Os doentes tratados com Actemra que desenvolvem uma infecção grave devem parar esse tratamento até que a infecção seja controlada. Vacinas vivas devem ser evitadas durante o tratamento com Actemra. Actemra deve ser utilizado com precaução em doentes com risco aumentado de perfuração gastrointestinal. Ocorreram reacções de hipersensibilidade, incluindo anafilaxia e morte. A monitorização laboratorial é recomendada devido às potenciais consequências das alterações relacionadas com o tratamento nos neutrófilos (tipo de glóbulos brancos), plaquetas, lipídios e testes de função hepática.

A Actemra subcutânea foi previamente aprovada para o tratamento de artrite reumatóide moderadamente ativa. A Actemra intravenosa foi também previamente aprovada para o tratamento de artrite reumatóide moderada a severamente activa, artrite idiopática juvenil sistémica e artrite idiopática juvenil poliarticular. A administração intravenosa não é aprovada para a arterite de células gigantes.

A FDA concedeu a este pedido uma designação Breakthrough Therapy e uma revisão de prioridade .

A FDA concedeu a aprovação suplementar da Actemra à Hoffman La Roche, Inc.

A FDA, uma agência dentro do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA, protege a saúde pública, garantindo a segurança, eficácia e segurança de medicamentos, vacinas e outros produtos biológicos para uso humano e dispositivos médicos. A agência também é responsável pela segurança e segurança do abastecimento alimentar da nossa nação, cosméticos, suplementos dietéticos, produtos que emitem radiação eletrônica e para regular os produtos de tabaco.

Fonte.

Em tratamento com canabidiol há dois meses, convulsões de criança iguaçuense diminuíram 90%

Em tratamento com canabidiol há dois meses, convulsões de criança iguaçuense diminuíram 90%

A criança iguaçuense já tem experimentado dos resultados do tratamento com o remédio derivado da maconha. Atualmente com 12 anos, o menino nasceu com epilepsia refratária, um distúrbio neurológico que causa várias convulsões ao longo do dia. Ele é a primeira pessoa a ser tratar com a substância em Foz do Iguaçu.

União e governo paranaense terão que fornecer canabidiol a criança com epilepsia

União e governo paranaense terão que fornecer canabidiol a criança com epilepsia

A União e o estado do Paraná vão ter que fornecer para uma criança de 12 anos de Foz do Iguaçu (região Oeste do estado) um medicamento produzido a base de canabidiol, substância derivada da maconha. Na última semana, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) manteve liminar que determinou o custeio de um frasco do remédio por dia pelos réus, sob pena de multa diária de R$ 1 mil, valor próximo ao preço estimado do produto.

Anvisa já liberou mais de 1.600 pedidos de Canabidiol

Anvisa já liberou mais de 1.600 pedidos de Canabidio

Quem precisa importar medicamentos à base de Canabidiol no Brasil espera, em média, 13 dias para obter uma autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), órgão responsável por liberar os pedidos. Desde 2014, a Anvisa recebeu 1759 processos, dos quais 1622 já foram autorizados. Alguns aguardam análise ou adequações no processo para a liberação.

Justiça obriga Estado a fornecer canabidiol para paciente que sofre de epilepsia

canabidiol

A 3ª Câmara de Direito Público do TJ confirmou decisão da comarca de Chapecó e determinou que o Estado forneça, em 30 dias, o medicamento a base de canabidiol para uma paciente portadora da síndrome de Lennose-Gastaut (epilepsia refratária). O acórdão estabeleceu, ainda, o sequestro de valores em caso de descumprimento da medida.

FDA alerta para contato de crianças com medicamentos contendo testosterona

635897252748890426-1524372072_kids-02

De acordo com a Food and Drug Administration (FDA), órgão governamental que controla medicamentos nos Estados Unidos, adultos que fazem uso de medicamentos em gel ou creme que contenham testosterona em sua fórmula devem ter extrema cautela para evitar o contato do produto com crianças, a fim de evitar sérios efeitos colaterais, como a dilatação de órgãos genitais, comportamento agressivo, crescimento prematuro de pelos púbicos e aumento da excitação sexual. O FDA determinou que os avisos nas embalagens destes medicamento sejam reforçados e mais bem expostos visualmente.

Liminar obriga Susam a fornecer remédio à base de canabidiol para menino de 9 anos

Decisão beneficia criança com paralisia cerebral e epilepsia

Liminar obriga Susam a fornecer remédio à base de canabidiol para menino de 9 anos

O juiz Márcio Rothier Pinheiro Torres, da 4ª Vara da Fazenda Pública Estadual do Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas (TJAM), determinou o fornecimento gratuito do medicamento à base de canabidiol (um dos derivados da maconha) pela Secretaria de Estado de Saúde (Susam) a uma menino, de 9 anos, com quadro de paralisia cerebral e epilepsia. A concessão da liminar foi publicada no Diário Oficial do órgão, no dia 25 de abril.

Hepatite C: Tratamentos são nova esperança para pacientes

Lançados na Índia, MyHep ™ e MyHep LVIR ™ são tratamentos genéricos utilizados no tratamento da Hepatite C.

Hepatite C: Medicamento é nova esperança para pacientes

MyHep, medicamento genérico do Sofosbuvir,  é indicado como componente de um regime de combinação antiviral, geralmente com Ribavirina  e Interferon, sendo principalmente prescrito para o tratamento de hepatite C crônica (genótipos 1, 2, 3, e 4).

Anvisa autoriza prescrição de remédios com canabidiol e THC no país

Resolução que tira substâncias da lista de proibições foi publicada nesta segunda

Anvisa autoriza prescrição de remédios com canabidiol e THC no país

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a prescrição e a importação de medicamentos e produtos com canabidiol e/ou tetrahidrocanabidiol (THC), substâncias encontrada na maconha e muito utilizadas em remédios que inibem convulsões. A autorização foi divulgada por meio da Resolução 66 da Anvisa, publicada nesta segunda-feira no Diário Oficial da União.

Na prática, a partir de agora o THC também passa a ser regulamentado, antes o componente só era permitido de maneira secundária, ou seja, quando estava presente em algum medicamento com composição permitida.

Entenda o choque anafilático

O choque anafilático, também conhecido como anafilaxia, é uma reação alérgica grave que surge poucos segundos, ou minutos, após estar em contato com uma substância a que se tem alergia, como camarão, veneno de abelha ou alguns medicamentos, por exemplo.

Nestes casos, os sintomas surgem rapidamente e incluem:

choque anafilático
Devido à gravidade dos sintomas e ao risco aumentado de ficar sem conseguir respirar, é importante iniciar o tratamento o mais rápido possível para evitar colocar em risco a vida da vítima. Assim, deve-se chamar imediatamente uma ambulância, ligando o 192, manter a calma e deitar a vítima de lado, caso desmaie, como indicado nos primeiros socorros para esta situação.

Criança com 30 convulsões ao dia tem 5 crises em 60 dias após canabidiol

Com o Canabidiol menina passou de 30 convulsões ao dia para 5 crises em 60 dias

Há dois meses Raquel Daniele Ferreira, de seis anos, utiliza um medicamento à base de canabidiol como tratamento da Síndrome de West. A menina mora com a família em Jupi, no Agreste de Pernambuco, e já chegou a ter 137 convulsões em 12 dias e 30 espasmos em 24 horas. Mas, após o uso do remédio, ela teve cinco crises em dois meses. “Saber que existia uma medicação que poderia trazer o alívio à minha filha foi a maior alegria que eu tive”, diz a autônoma Ivanise Ferreira, mãe da menina.

Saiba mais sobre Xifanxan (Rifaximina)

 

Saiba mais sobre Xifanxan (Rifaximina)

Xifaxan é um antimicrobiano intestinal, sendo membro da classe de medicamentos denominados rifamicinas, mas, ao contrário das outras rifamicinas, quase não é absorvida pelo intestino (menos de 1% da dose administrada), de maneira que atua apenas contra os microrganismos intestinais.

Xifaxan atua contra a maioria dos microrganismos patogênicos que são responsáveis pela diarreia aguda infecciosa.

FDA aprova Zurampic para tratar níveis elevados de ácido úrico no sangue associado a gota

Zurampic é um medicamento para tratar níveis elevados de ácido úrico no sangue associado a gota

A FDA aprovou Zurampic (lesinurad) para tratar níveis elevados de ácido úrico no sangue (hiperuricemia) associada a gota, quando usado em combinação com um inibidor da xantina oxidase (XOI), um tipo de medicamento aprovado para reduzir o produção de ácido úrico no corpo.

8 perguntas e respostas sobre HIV e AIDS

Ao contrario do que muita pessoas acreditam, ter o HIV não é a mesma coisa que ter a aids.

O que é HIV?

HIV é a sigla em inglês do vírus da imunodeficiência humana. Causador da aids, ataca o sistema imunológico, responsável por defender o organismo de doenças.

Ministério da Fazenda retira impostos de medicamentos importados por pessoas físicas

Entrega poderá ser feita a domicílio, sem recolhimento dos tributos, desde cumpridas regras da Anvisa

Ministério da Fazenda retira impostos de medicamentos importados por pessoas físicas

A Receita Federal facilitou a importação de medicamentos destinados a pessoas físicas, como o canabidiol, utilizado para reduzir a frequência e a intensidade de convulsões em pacientes com epilepsia refratária. Uma portaria publicada nesta segunda-feira no Diário Oficial da União permite que esses remédios comprados no exterior por meio de encomenda aérea e entregues por courrier sejam isentos de impostos.

APLV e intolerância à lactose podem ser confundidas

 

com-sintomas-iguais- APLV-e-intolerância-à-lactose-podem-ser-confundidas

Diarreia, gases, cólicas, distensão abdominal, lesões na pele, inchaço e distúrbios gastrointestinais são alguns dos sintomas da APLV (alergia à proteína do leite de vaca) e da intolerância à lactose, o que leva as duas patologias a serem frequentemente confundidas, principalmente porque as duas são causadas pelo leite.

Após tomar canabidiol, menina que tinha crises convulsivas volta à escola

Com o medicamento, Mariana Vargas Bascyzn não tem convulsões há dias. Família lutou na Justiça para garantir direito de receber o remédio.

Após tomar canabidiol, menina que tinha crises convulsivas volta à escola A família de uma menina de nove anos que ganhou na Justiça o direito de receber um remédio de uso restrito comemora as mudanças na rotina através do uso do medicamento. Diagnosticada com Síndrome do Córtex Duplo, Mariana Vargas Bascyzn está tomando canabidiol, substância extraída da maconha, e já consegue até ir à escola.

País não cumpre lei que prevê prazo de 60 dias para início do tratamento contra câncer

Menos de 5% dos 576 mil novos casos da doença são cadastrados no sistema nacional

2015-810557903-2015042447696.jpg_20150424

BRASIL – Brasília – BSB – PA – 24/04/2015 – Entrevista com Sérgio Vieira Fortes , paciente com câncer que está com dificuldade de conseguir o tratamento. Foto de Jorge William/Agência O Globo – Jorge William / jorge william

BRASÍLIA – Numa terça-feira de setembro do ano passado, o aposentado Sérgio Vieira Fortes ficou incrédulo diante do diagnóstico. O que ele imaginava ser uma forte alergia era, na verdade, um câncer na laringe. Saiu da consulta em um hospital público do Distrito Federal com a orientação de retirar o tumor maligno o mais rápido possível. Mas, passados mais de sete meses, o homem de 60 anos continua à espera de tratamento.

Anvisa facilita importação de medicamento com derivado da maconha

Agência deixará de exigir nova autorização para cada importação, exigindo apenas um cadastro com renovação anual; hoje, famílias têm de apresentar um requerimento a cada pedido

16122014094218

FDA aprova primeira terapia pediátrica para neuroblastoma de alto risco

FDA aprovou dinutuximab (Unituxin) , como parte da terapia de primeira linha para pacientes pediátricos com neuroblastoma de alto risco, um tipo de câncer que geralmente ocorre em crianças pequenas.

12-03

De acordo com a American Cancer Society, o neuroblastoma é um tipo de câncer que começa em certas formas muito precoces de células nervosas encontrados em um embrião ou feto. ( Neuro refere-se aos nervos, enquanto blastoma refere-se a um câncer que afeta as células imaturas ou em desenvolvimento). Este tipo de câncer ocorre com mais freqüência em lactentes e crianças jovens. É raramente encontrada em crianças com idade superior a 10 anos.